Exclusivo: após seis anos, Flora Matos inicia nova fase da carreira com o lançamento do clipe "Canta Pra Chamar"

"Energia atrai energia, certo? Essa música eu escrevi na intenção de chamar as coisas boas que estavam em falta", explica a rapper

Luciana Rabassallo Publicado em 01/10/2015, às 15h00

A cantora Flora Mattos.
Danilo Santos

Por Luciana Rabasallo

Flora Matos passou um tempo afastada das agitações do show business. A decisão de "se recolher" para repensar a carreira e decidir em qual direção daria o próximo "passo para tirar o mundo do lugar" resultou na música "Canta Pra Chamar", single que ilustra um clipe ao vivo e inédito lançado com exclusividade por meio do blog Cultura de Rua, espaço dedicado ao hip-hop nacional no site da Rolling Stone Brasil.

Você ainda não entendeu a mensagem de Cores & Valores? A detenção de Mano Brown é o exemplo perfeito.

"Em um momento bem complicado da minha carreira, quando as coisas não andavam na velocidade que eu esperava, tive que correr com as minhas próprias pernas como sempre fiz. Me recolher um pouco para pensar em como solucionaria esse problema. Respeito muito minha solidão. É nela que eu me encontro totalmente livre pra escrever minhas músicas. Sou só eu e música, naquele espaço de tempo infinito, nos tornando uma só. Neste caso como em vários outros, eu tinha a música como minha companheira pra todas as horas. Foi assim que essa canção surgiu", explica a rapper.

"Cresci com a força e a coragem de um leão /E o bicho pega quando os cara liga o PA/ Meu som /Acredito está dando vazão a tudo o que eu quiser /Posso cantar para chamar", rima Flora Matos enquanto seu fiel escudeiro, DJ Naomi, comanda os graves. O registro foi feito durante o show Flora Matos Convida Mano Brown, que aconteceu na Clash Club, em São Paulo, no mês de agosto. "Cantar ao lado de Brown é melhor do que ganhar qualquer prêmio do meio musical. A participação dele nesse show foi um verdadeiro presente para todas as mulheres que diariamente trabalham no meio do hip-hop, com muita luta e comprometimento, passando por muitas injustiças e driblando monstros machistas todos os dias."

Criolo completa 40 anos e segue arrebatando públicos além do rap.

Os questionamentos que infestavam a cabeça de Flora, como ela explica, foram respondidos por meio de "Canta Pra Chamar". "Eu perguntei pra a música o que fazer e ela me respondeu com essa canção. Nesse período, especificamente, eu optei por trabalhar para melhorar o meu show enquanto eu estava impedida de lançar um disco. Escrevi muitas músicas sabendo que elas poderiam demorar pra sair e incluí várias delas nos shows ao vivo pra não deixar a minha sede morrer."

Segundo a artista, "música é energia" e o intuito de compor uma faixa como "Canta Pra Chamar" é atrair boas vibrações. "Energia atrai energia, certo? Essa música eu escrevi na intenção de chamar as coisas boas que estavam em falta naquele momento para que eu pudesse dar sequência no meu trabalho. Eu acredito muito na energia idealizadora das palavras e da vibração sonora. E a maioria das coisas que eu chamei quando eu fiz essa letra, tenho hoje. É como um mantra mesmo. Canta para chamar."

Cultura de Rua elege as 15 grandes canções do hip-hop em 2014.

O clipe, que você vê com exclusividade abaixo, tem direção de Naio Rezende. "Esse é o meu primeiro conteúdo oficial lançado em seis anos. Por conta disso, registramos esse momento tão especial. O Naio é também dono de uma produtora chamada It We e de um selo de trap-rap brasileiro, que está chegando bonito na cena. Vale a pena conferir o canal da It We no YouTube."

Sobre o sucessor de Flora Matos vs Stereodubs, a cantora garante que está "engatilhado". "A cada dia que passa o disco ganha mais cor e estrutura. Esse disco já me proporcionou mais que um disco. Alguns conteúdos serão divulgados antes do lançamento do registro. Eu estou muito animada com a direção que esse trabalho está tomando agora. O resultado está ficando muito melhor do que eu imaginava", finaliza.

Veja a letra de "Canta Pra Chamar" abaixo

"Medi... a força que tem uma canção

E vi que pra bater tem que botar para quebrar

Venci... a luta em que enfrentei um dragão

Liguei no 'Gabi Som' e trouxe o 'sub' pra cá

Cresci... com a força e a coragem de um leão

E o bicho pega quando os cara liga o PA

Meu som... acredito que tá dando vazão

A tudo o que eu quiser

Posso cantar pra chamar

Dois mic sem fio

Um ponto no ouvido

Uma banda, um DJ, um time

Um hino

Meu rap, soul, funk

Roda de improviso

Uma track

Meu santo, meu isso e aquilo

Um carro, uma casa

Uma rede, um livro

Um quarto, uma sala

Um estúdio, um ninho

Escritório, na praia

Um ano, dois discos

Meu gato, minha gaita

Meu som e meu vício

Não caio em roubada

Se caio, levanto

Aprendo com as falhas

Te passo de ano

Quem conhece sabe

Aprendo com as falhas

Te passo de ano

Quem conhece sabe

A vida que eu canto

Meus temas, meus planos

Vitórias e enganos

Medi... a força que tem uma canção

E vi que pra bater tem que botar para quebrar

Venci... a luta em que enfrentei um dragão

Liguei no 'Gabi Som' e trouxe o 'sub' pra cá

Cresci... com a força e a coragem de um leão

E o bicho pega quando os cara liga o PA

Meu som... acredito que tá dando vazão

A tudo o que eu quiser

Posso cantar pra chamar"