Blog da Redação

postado: 16 de Set. de 2017 às 01:46

Rock in Rio 2017: negação, raiva, depressão, aceitação – a reação dos "Monstrinhos" que iam ver Lady Gaga e ficaram com Maroon 5

  • Imprimir
Lady Gaga
Press Association/AP

Teve choro, xingamento, meme, mas não teve Lady Gaga. Imprevistos acontecem e a headliner do primeiro dia de Rock in Rio cancelou a vinda dela para o festival um dia antes. A cantora está com fortes dores no corpo e tratando de uma fibromialgia séria. Mas isso não muda a compreensível decepção dos “monstrinhos” que sonhavam com o dia em que (re)veriam a Mamãe Monstro e que ficaram na mão. Muitos gastaram um dinheirão para chegar ao Rio de Janeiro, inclusive. Abaixo, leia alguns depoimentos que mostram que os fãs passaram por todos os outros quatro estágios do luto antes de engolir a troca de Lady Gaga por Maroon 5.

Nudez, lágrimas e declarações de amor: dez momentos inesquecíveis do Rock in Rio

Marcella Gaspar, 23 anos, estudante de psicologia, paulistana - “Estava trabalhando. Desliguei o telefone na cara de alguém e comecei a chorar muito, muito, muito. Esperava por esse dia há cinco anos. Era o dia mais esperado da minha vida. Me marcaram em um monte de memes e tive que explicar ‘gente, não estou rindo, não estou achando graça nenhuma’. Resolvi vir porque estava com hotel e passagem pagos e minha amiga vinha comigo, se eu estivesse sozinha teria vendido com certeza. Nem tinha parado para pensar no tamanho da coisa, o espetáculo que seria: para mim, esse era o dia da Lady Gaga. Acabou comigo! Coitada, ela está doente... fiquei triste, mas xinguei! Eles podiam ter avisado antes. Teria dado tempo de ter vendido. Eu realmente não curto Maroon 5, nem sei quem é Adam, se é bonito ou se não é.”

Ismael Neri, 25 anos, DJ e produtor de eventos, paulistano – “Estou aqui desde ontem, até ia para a frente do hotel. Ficamos hospedados do lado e ficamos vendo todo mundo chorando. Eu não queria acreditar. Acho que quando eu chegar em casa vai cair a ficha e vou chorar. É triste, mas já estou aqui, então vou aproveitar, tem outras coisas, toda a estrutura do Rock in Rio. Se tivesse o show da Gaga eu não ia curtir nada mais, ia ficar preso a isso. Como não tem, vou curtir a Cidade do Rock, vou curtir muito a Ivete. Eu gosto do Maroon 5, mas não pagaria para ver. Não foi uma boa substituição. O que mais tem hoje é gay, as bichas querem ver diva pop, qualquer outra diva pop seria melhor. Maroon 5 já vai ter amanhã, se a gente quisesse ver viria amanhã. A Fergie também já está aqui, poderia ser ela. ”

Allan Correia, 20 anos, assessor de imprensa, paulistano – “Apesar de ela não ter vindo, eu quis vir, acho que é uma experiência única. Tem outros shows, Ivete, Pabllo. Fico muito triste, de verdade, sonho desde 2012 com o momento da volta dela ao Brasil. Mas é meu primeiro Rock in Rio, vou aproveitar o máximo que eu puder. Não chorei quando soube, mas fiquei bem nervoso, até achei que fosse piada. Quando vi a confirmação oficial e caiu a ficha... foi uma perda muito grande para nós, Little Monsters. Achei a substituição com Maroon 5 um lixo. A Gaga tem um perfil de fã e de música que não combina com o Maroon 5.”

Reportagem de Anna Mota

Acompanhe a cobertura do Rock in Rio pelas nossas redes sociais: Estamos no Twitter (@rollingstonebr), Facebook (/rollingstonebrasil) e no Instagram (@rollingstonebrasil), com fotos e stories dos melhores momentos dos shows.