Blog Sobe o Som

postado: 19 de Dez. de 2016 às 13:38

Diário de viagem: Chico Salem narra como foi seu giro pela Europa

  • Imprimir
Chico Salem
Divulgação

Lisboa (31/10 a 04/11)
A viagem já começou incrível, com muita piada boa e risadas com Arnaldo [Antunes] e [a esposa dele,] Marcinha, ainda no aeroporto. Eles são sempre companhias incríveis de viagem. Chegando em Lisboa, nos separamos. Eu tinha quatro dias livres e aproveitei para me jogar na cidade. Aluguei um Airbnb em Alfama, e já no primeiro dia me perdi por aquelas ruas. Até encontrar alguns amigos brasileiros e minha irmã.

Fiz algumas paradas obrigatórias, como na Casa da Índia (um restaurante que frequento há anos) e no acolhedor Mirante do Adamastor, de onde se vê o Tejo e boa parte da cidade com a luz mais bonita que conheço! Foram dias deslumbrantes com destaque para a jam session maravilhosa que rola na alta madrugada no Tejo Bar, uma biboca incrível na Alfama que recebe músicos excelentes e de vários lugares do mundo. Os instrumentos ficam à disposição de quem quiser se desnudar! Um achado me dado de presente pela minha querida amiga Fabiane Pereira.

Fiz muitos bons amigos portugueses também, como o excelente violoncelista Hugo Fernandes, que prontamente aceitou meu convite para participar do meu show na cidade, alguns dias depois.

Oslo, com Arnaldo Antunes (04/11 a 06/11 )
Banda e equipe reunidas, partimos para Oslo. Chegamos em uma cidade gelada e assustadoramente organizada. Fomos no mesmo voo com a Carminho, estrela portuguesa que iria me arrancar algumas lágrimas alguns dias depois, em Lisboa. Coincidentemente, iríamos tocar no mesmo festival. Muita neve na noite gelada, mas que foi aquecida pela bebida destilada local, Aquavita. Uma aventura a parte: guerras de bolas de neve foram inevitáveis após algumas rodadas da bebida local. O show em si: incrível! Público intenso e caloroso e uma temperatura amena no dia de ir embora.

Lisboa (06/11 a 08/11 )
De volta a Lisboa, uma das descobertas mais amistosas da viagem: a Vintage Gin House. Uma simpática casa de gim na Praça Luís de Camões, que oferece mais de 200 tipos de gim diferentes. Garrafas ficam espalhadas pelas prateleiras do bar, administrado por Nuno e seu fiel escudeiro, também chamado Nuno.

Finalmente chegou o dia do grande ensaio para o DVD do Arnaldo! F a um estúdio em um lugar genial chamado LX Factoty. É um quarteirão fechado, com galpões, lojas, cafés. Tudo de muito bom gosto e sofisticado. Sobre o show... Bom, um show à parte. Já estava tudo mágico e cinematográfico quando chegou Carminho. Como que em um gesto digno das sereias, ela começou a entoar as primeiras notas. Poucas vezes me senti tão emocionado e arrepiado com a presença de algum artista – momento para nunca mais esquecer. Então, hotel e caminha, porque o dia seguinte seria para colocar o pé na estrada.

Aveiro, Braga, Viseu, com Arnaldo Antunes (09/11 a 11/11)
Dias começando com paisagens deliciosas pelas estradas de Portugal.

Foi tudo naquele esquema genial: Produtores locais pilotando as vans, equipe com altíssimo astral e o bom humor imperando. Passagens de som e pela noite... Shows! Toquei no Teatro Circo, que talvez seja o teatro mais lindo onde já me apresentei. Aquelas galerias, camarotes, poltronas vermelhas, adornos, tudo maravilhoso demais. Noite especialíssima com a participação dos popstars Manuela Azevedo e Hélder Gonçalves, do Clã, famosíssima banda portuguesa. Show impecável.

Destaque para as lindas Rias de Aveiro (rios por onde correm espécies de gôndolas), os pequenos labirintos da cidade antiga de Viseu e para Braga.

Lisboa, com Arnaldo Antunes (12/11 a 16/11 )
Momentos de muita emoção, tudo pronto para a gravação do DVD.

Teatro São Luiz maravilhoso no Chiado, recheado de bons amigos e de um público farto e muito caloroso. Dois shows encantadores com participações do Clã e da Carminho, um momento histórico nesses 17 anos ao lado desse grande mestre da música e da vida. Parceiro de estrada e de alma que é o Arnaldo. Amor da cabeça aos pés.

No dia seguinte, a banda se separou e eu me preparei para meus dois shows que viriam logo na sequência. Descansei e curti Lisboa ao lado da minha amada.

Ainda sobrou tempo para conhecer um restaurante chinês ilegal, que ficava dentro de uma casa de família, na sala do apartamento, com a dona fumando um cigarro e o dono se provando um chef fabuloso. Um caranguejo frito de comer rezando!

Porto (16/11 a 18/11)
Viagem de trem para o Porto. Chegamos no fim da tarde e de cara fizemos um passeio pelo Cais da Ribeira. Vimos um pôr do sol deslumbrante na Vila Nova de Gaia, cidade que é separada do Porto por uma ponte sobre o Rio D’ouro, de onde se tem, segundo os moradores da cidade, a vista mais linda do mundo, a Ribeira. E é mesmo maravilhoso.

No dia seguinte, uma entrevista na TV dentro do estádio do Porto FC e, à noite, meu show no Passos Manuel, que é um teatro dentro de um antigo cinema. Contei com a participação mais do que linda da Manuela Azevedo (Clã). Foi um show muito lindo e, mais do que isso, vitorioso.

Desde o meio da tarde estava passando muito mal, devido a um bife zoado que comi. Estava cogitando cancelar o show, se não parasse de vomitar. Faltando 5 minutos, respirei fundo pedi uma trégua de uma hora para o Cara Lá de Cima e fiz um show muito legal. Conectado com minha essência total, que é a música e que não adoece nunca. Foi demais!

Manuela arrasou! Cantamos juntos a canção “Num Dia”, parceria nossa com Arnaldo Antunes e Hélder Gonçalves. O público amou! Os convites para voltar ano que vem já se iniciaram ali mesmo.

Lisboa (18/11 a 21/11 )
Chegando de volta a Lisboa para meu último show, tive a surpresa de conhecer minha nova morada: o Espaço Espelho D’agua. Um lugar na margem do Tejo, em Belém, ao lado do Monumento ao Descobrimento. O complexo é um restaurante, galeria, sala de shows e espaço multiuso, com três lindos quartos para receber artistas. É administrado pelo querido casal Mona e Mário, que cuidam de tudo com muito amor. Um lugar lindo e sofisticado.

Fizemos um show deslumbrante com participações de Hugo Fernandes e Maria João Matos e do meu conterrâneo Leandro Bomfim, grande cantor e compositor que vive lá há alguns anos. Público quente e muito acolhedor em uma noite mágica.

Mágica como o dia seguinte, que teve direito ao inacreditável Mosteiro dos Jerônimos, um lugar de uma energia alucinante e de visual arrebatador. Além disso, o clássico Pastel de Belém e a surpreendente Casa do Alentejo, um restaurante que fica num antigo casarão que já foi cabaré e cassino. Só pra acabar a viagem bem e variar um pouco, mais um gim na Vintage. Depois, direto para a cama e logo em seguida aeroporto, já cedinho no dia seguinte.