Edição 107 - Julho de 2015

Para morar no sofá

Entre favoritas e estreantes, preparamos uma lista com o que a TV terá de melhor nos próximos meses
  • Imprimir
por Rob Sheffield e Stella Rodrigues

Fear the Walking Dead
1ª Temporada
Estreia no Brasil: agosto, uma semana após a estreia nos Estados Unidos/AMC

Um Spin-Off não precisa, necessariamente, fugir tanto assim do original, certo? Considerando o enorme e contínuo sucesso de The Walking Dead, dá para apostar que a ainda inédita Fear the Walking Dead não mostrará zumbis bem comportados que frequentam a biblioteca e respeitam o semáforo – pelo menos é isso que todo mundo espera! A boa notícia é que o criador da “produção-mãe”, Robert Kirkman, está por trás dessa prequel, que quer revelar as origens do apocalipse zumbi.

Wet Hot American Summer: First day of camp
1ª Temporada
Estreia mundial:
31 de julho/Netflix

Catorze anos depois de quase nem ter sido lançada, a comédia Mais um Verão Americano ganha o segundo fôlego pelo qual os fãs vinham rezando. É a prequel mais aguardada dos últimos tempos. David Wain e Michael Showalter dão nova vida a esse amado cult adolescente no formato de “série limitada”, com oito episódios. E, o mais impressionante, eles conseguiram trazer de volta o elenco original, composto de diversos nomes que, na época, eram iniciantes, mas que hoje chegaram ao estrelato – entre eles Bradley Cooper, Amy Poehler e Paul Rudd. O novo time de atores ainda conta com Jon Hamm, John Slattery e Kristen Wiig.

Mister Brau
1ª Temporada
Estreia no Brasil: setembro/Globo

Escrita por Jorge Furtado e com direção-geral de Mauricio Farias, conta a história de sucesso e ascensão do cantor Mister Brau, interpretado por Lázaro Ramos, e da esposa dele, também artista. Tais Araújo, mulher de Ramos na vida real, assume esse mesmo papel na ficção. O casal (da série) fica milionário, se muda para um condomínio de luxo e passa por um processo de adaptação para se integrar à nova vizinhança. Aos poucos, eles vão aprendendo que ter dinheiro não é o que define uma pessoa.

Supermax
1ª Temporada
Estreia no Brasil: 2 de outubro/Globo
Abençoada pelo sucesso de Orange Is the New Black e outras tramas prisionais, SuperMax chega para mudar o estilo de série que a Globo geralmente coloca no ar. Com aspecto de reality show e toque sobrenatural, o programa terá Cleo Pires e Mariana Ximenes como duas integrantes da gigantesca população carcerária brasileira. As detentas fictícias habitam um presídio de segurança máxima nos moldes da lendária Alcatraz, em São Francisco. Serão 12 episódios, com direção de José Alvarenga.

Ray Donovan
3ª Temporada
Estreia no Brasil: 17 de julho/HBO

O bandidão de ascendência irlandesa interpretado por Liev Schreiber pode ter começado como um anti-herói genérico da TV a cabo norte-americana, mas ele tem ficado mais interessante a cada temporada, agora que é menos um “cara-família” e mais um agente criminoso que pode fazer o que bem quiser. Ian McShane, de Deadwood, passa a integrar o elenco nesta temporada, no papel de um gângster imoral. E quanto à filha de McShane: bem-vinda de volta ao horário nobre, Katie Holmes! Jon Voight também retorna como o pai imprestável de Ray, Mickey, mas a história não é tão dependente dele, já que o personagem perdeu um pouco o gás e suas cenas têm sido secundárias. Agora o real desafio de Schreiber é McShane, e é um prazer assistir à interação dos dois, especialmente considerando que a presença carismática deste balanceia a abordagem inexpressiva de Schreiber. “Kafka disse que na briga do homem contra o mundo, você deve apostar no mundo”, reflete McShane, em certo momento. “Mas com pessoas como nós você aposta no homem. Você definitivamente aposta no homem.

Bojack Horseman
2ª Temporada
Estreia mundial: 17 de julho/Netflix

Pense nas “séries-família” que todo mundo via quando criança. Agora, reflita sobre o atual estado da carreira dos atores que viveram aqueles personagens universalmente amados. Enquanto nenhuma nova produção quer contratar o “Papai isso” ou o “Irmão aquilo” daquelas pérolas do saudosismo, os astros do passado que não estão na reabilitação gastam o tempo escrevendo livros sobre os anos de glória ou respondendo perguntas sobre aquele aguardado episódio de reunião (que, às vezes, até acontece, caso de Full House). Essa é, mais ou menos, a história de BoJack Horseman, um personagem que lembra, em muitos aspectos, o ator Bob Saget, o “Papai Tanner” da citada Full House. Na primeira temporada, enquanto registra em livro seu passado como astro da TV-estilo- família-saudável, Horseman (voz de Will Arnett), um cavalo antropomórfico que vive um estilo de vida oposto ao do personagem que o consagrou na TV muitos anos antes, encara as decisões que tomou na vida. De volta aos olhos do público, após a publicação da biografia, ele precisa dar novos rumos à carreira.

Narcos
1ª Temporada
Estreia mundial: 28 de agosto/Netflix

o Diretor e o astro de Tropa de Elite – José Padilha e Wagner Moura, respectivamente – se reencontram na aposta do ano da Netflix. Mas o ator estará do outro lado do jogo, desta vez. Narcos contará a história do homem mais associado ao termo “tráfico internacional” no mundo todo, o temível Pablo Escobar (Moura), líder do cartel de Medellín. A ideia da série é narrar os primórdios da atividade do tráfico de drogas, ponto de origem que, de uma forma ou de outra, tem se provado uma verdadeira galinha de ovos de ouro para o serviço de streaming (vide Orange Is the New Black e, de maneira indireta, Better Call Saul). Serão dez episódios, todos rodados na Colômbia. O elenco ainda conta com Pedro Pascal, o Oberyn Martell de Game of Thrones.

O Hipnotizador
1ª Temporada
Estreia no Brasil:agosto/HBO

Quinta produção em espanhol da HBO América Latina, O Hipnotizador, rodada no Uruguai, tem base em uma HQ. Inspirada por El Hipnotizador,dos argentinos Pablo De Santis e Juan Sáenz Valiente, a série conta a história do solitário e idiossincrático Arenas (Leonardo Sbaraglia), uma espécie de Sherlock Holmes místico. Esse quase quarentão trabalha hipnotizando as pessoas e chafurdando pelo inconsciente delas em busca de memórias que solucionem casos e sanem os problemas que as afligem.

Ainda dá tempo

Conheça algumas das novidades que já estrearam, mas com as quais vale a pena ficar em dia

Além de tudo que vem por aí, o último mês fez arder os olhos de quem fica em cima do lance e assiste a todas as estreias da TV. Não bastasse os 13 episódios da 3ª temporada de Orange Is the New Black terem sido liberados em 12 de junho, a Netflix soltou, no início no mesmo mês, a primeira leva de capítulos de Sense8, ficção científica produzida pelos irmãos Andy e Lana Wachowski (os responsáveis por Matrix). Na trama, oito completos estranhos, de diferentes partes do mundo, são repentinamente conectados emocional e mentalmente. Quando ainda nem tinha dado tempo de os maratonistas televisivos se recuperarem, chegou o dia 21 de junho, um domingo no qual a HBO brasileira aproveitou a exibição do capítulo final da 5ª temporada de Game of Thrones (que por si só foi um momento à parte na história da televisão roteirizada) e estreou simultaneamente com os Estados Unidos a nova (e inferior) fase de True Detective, estrelada por Vince Vaughn, Rachel McAdams e Colin Farrell. Ballers, drama protagonizado por ninguém menos que Dwayne “The Rock” Johnson (pense em Entourage, mas em uma versão focada no futebol americano), e The Brink, série satírica de humor negro estrelada por Jack Black, também chegaram à telinha nacional pelo mesmo canal e com estreia simulânea nessa data. Altamente recomendado para fãs de Veep, The Brink conta a história de um funcionário irrelevante da Casa Branca que, de repente, se vê responsável por resolver uma intrincada crise geopolítica no Paquistão. A ideia é cada temporada seguir uma crise em um país diferente, mas com os mesmos personagens principais.

Recomendadas