Edição 108 - Agosto de 2015

Mulher de Fibra

Há duas décadas, Alanis Morissette estourava com Jagged Little Pill
  • Imprimir
Mulher de Fibra

Lançado em junho de 1995, Jagged Little Pill vendeu mais de 30 milhões de cópias e levou a canadense Alanis Morissette, uma ex-estrela adolescente em sua terra natal, ao topo das paradas. O repórter David Wild mergulhou no universo da cantora, que aos 21 anos conseguiu emplacar no mainstream um álbum cheio de raiva e feminismo. Jagged Little Pill falava de separações e relacionamentos ruins e fez a cabeça de mulheres jovens e adultas na metade da década de 1990, mesmo quando a imagem de Alanis não era conhecida. “Já falaram que eu não me pareço com as minhas canções. As pessoas esperam que eu tenha cabelo roxo, piercing no nariz e peitões”, disse a artista a Wild em um show com ingressos esgotados na cidade de Denver.

Na época da entrevista, a canção “You Oughta Know”, um ataque a um ex-namorado, era executada incessantemente nas rádios. Alanis explicou que não escreveu a música “por vingança”. “Foi só uma válvula de escape.” Apesar das dores expostas nessa e em outras composições, a resposta da plateia às faixas se mostrava surpreendente para Alanis. “É reconfortante e, ao mesmo tempo, agridoce. É um pouco perturbador saber que tanta gente passou por experiências tão dolorosas [ quanto as que descrevo no disco]”.