Edição 112 - Dezembro de 2015

"É um thriller psicológico antes de ser um seriado sobre super-heróis", diz estrela de Jessica Jones

Krysten Ritter, de 33 anos, protagoniza a série da Netflix, um dos melhores lançamentos de 2015
  • Imprimir
Heroína às Avessas
SHERYL NIELDS
por DAVID FEAR

Quando Krysten Ritter olha no espelho, pode ver uma modelo, uma coadjuvante atrevida de comédias românticas ou o tipo de pessoa engraçada e irreverente que estrelaria um seriado com “Não Confie na P----” no título (“Don’t Trust the B----”, em inglês). E ela já foi tudo isso. “[Só que] eu não via o que a cultura costuma descrever como uma super-heroína”, diz a atriz. “Tipo a Mulher-Maravilha ou alguém naquelas roupas vulgares? Nem pensar.”

E é exatamente por isso que Krysten, de 33 anos, é a escolha perfeita para o papel principal em Jessica Jones, a nova série da Netflix, com uma trama muito mais sombria do que o típico melodrama que costuma envolver histórias de homens usando capa. O seriado, baseado em uma HQ da Marvel do início dos anos 2000, segue uma heroína que, depois de uma experiência traumática, larga a fantasia e se torna detetive particular. Ela também é um caos total: vive cronicamente de ressaca, é propensa a casos compulsivos com bartenders e tem obsessão pelo vilão, interpretado por David Tennant. Em outras palavras, é a espécie de anti-heroína atormentada e imperfeita que cai como uma luva para a atriz.

“Eu precisava de algo complexo”, conta Krysten. “Além disso, gosto de fazer personagens sombrios e comédia. É um thriller psicológico em primeiro lugar, e um seriado de super-heróis em segundo. É exatamente o tipo de programa liderado por mulheres que eu veria. Eu mando ver – e sem ter de usar um macacão justinho.”

Assista ao trailer de Jessica Jones abaixo:

Recomendadas