Edição 114 - Fevereiro de 2016

O Milagre do Guns N’ Roses

Axl Rose, Slash e Duff McKagan se reunirão no Coachella – e talvez saiam em turnê depois
  • Imprimir
Guns N' Roses
Reprodução/Instagram
por Andy Greene

Em algumas sessões de Star Wars: O Despertar da Força, em dezembro, um teaser misterioso apareceu na tela de cinema antes de começar o filme. Era um trecho de “Welcome to the Jungle” sendo tocado sobre imagens de plateias de shows de rock.

Foi a primeira dica concreta de que meses de rumores aparentemente improváveis eram verdadeiros: pela primeira vez em 23 anos, Axl Rose, Slash e Duff McKagan estavam prestes a se reunir no palco, e usando o nome Guns N’ Roses.

A confirmação veio em janeiro, quando o Guns – com Slash e McKagan – foi anunciado como principal atração do festival Coachella, que será realizado em abril em Indio, na Califórnia (serão dois shows da banda: o evento ocorre em fins de semanas consecutivos, com o mesmo line-up). O grupo chamou isso de “o evento musical mais significativo e ansiosamente aguardado deste século”.

Logo começaram as reportagens dando conta de que uma turnê viria em seguida, mas até o fechamento desta edição, os representantes do Guns não haviam confirmado essa informação. O que está garantido é que a formação tocará também em Las Vegas, nos dias 8 e 9 de abril, e na Cidade do México, no dia 19.

A grande pergunta que ficou para os fãs era se algum outro antigo membro do Guns – o baterista da era Appetite for Destruction Steven Adler, o baterista da era Use Your Illusion Matt Sorum e o guitarrista Izzy Stradlin – estará envolvido (“Nunca se sabe”, Sorum diz à Rolling Stone). Quando esta revista foi para a gráfica, o tecladista Chris Pittman era o único outro músico confirmado, embora posts nas redes sociais venham sugerindo que o tecladista Dizzy Reed (que entrou em 1990) e o baterista Frank Ferrer (que entrou em 2006) também pudessem estar dentro.

Desde 2006, Axl Rose fez quase 300 shows com a nova versão do Guns N’ Roses, que também gravou Chinese Democracy (2008). McKagan, Slash e Sorum, enquanto isso, formaram o Velvet Revolver com o falecido Scott Weiland. Stradlin e McKagan tocaram com o novo Guns ao longo dos anos, mas Axl e Slash pareciam ter diferenças irreconciliáveis. “Um de nós dois morrerá antes de uma reunião”, Rose afirmou em 2009. O primeiro sinal de que o gelo estava sendo quebrado veio no ano passado, quando Slash confirmou que os dois tinham voltado a se falar: “É muito
legal acabar com um pouco daquela coisa negativa”, declarou o guitarrista. Décadas de inimizade – e turnês do Guns sem Slash – não diminuirão a procura por uma das reuniões mais aguardadas do rock. “Eles foram uma das maiores bandas de todos os tempos”, diz o promotor de shows de Nova York John Scher. “Não acho que o Axl tenha manchado tanto o nome a ponto de os fãs originais não quererem voltar.”