Edição 114 - Fevereiro de 2016

Serenidade Quase Bipolar

Albert Hammond Jr. traz seu disco solo mais bem –sucedido ao Brasil
  • Imprimir
Serenidade Quase Bipolar
Divulgação
por Lucas Brêda

Albert hammond jr. aparece entre luzes e sombras na capa de Momentary Masters (2015), mais recente álbum solo dele. “Todo mundo existe com uma sombra”, diz o guitarrista do Strokes. “Todo mundo tem um lado que não mostra a ninguém.” Esse lado pouco conhecido de Hammond Jr. é o maior atrativo do disco, cujas dez faixas levam as guitarras agudas das músicas do Strokes para um caminho mais reflexivo, ora melancólico, ora misterioso. “Não sei se é bem outro lado meu”, explica. “Acho que [o álbum] é mais sobre descobrir que há dois lados – e como você lida com eles.”

Momentary Masters foi o primeiro trabalho do guitarrista em cinco anos e também o primeiro desde que ele largou o consumo excessivo de drogas como cocaína e heroína. E, apesar de o Strokes ter voltado aos palcos em 2015 e ter ganhado muitas manchetes com isso, Hammond Jr. garante que trata a carreira solo como principal frente de trabalho atualmente. “Me encontrei como vocalista”, afirma ele, que apresentará seu melhor trabalho solo nesta edição do Lollapalooza e está no momento mais são da carreira. “Sinto que posso viver plenamente, com todas as minhas partes”, reflete. “Não sei, quando você usa drogas, você está sendo influenciado – aquilo não parece real. Agora eu posso ser a melhor versão de mim mesmo mais frequentemente.”