Edição 120 - Agosto de 2016

Amor e Som

Formado por casal de namorados, duo Qualquer Bordô exalta relacionamento em baladas folk
  • Imprimir
Amor e Som
Divulgação
por Gabriel Nunes

Resultado do relacionamento amoroso entre os músicos Tai Britto e Carol Kozovits, a banda de indie folk Qualquer Bordô estreia com disco homônimo ainda este ano. “Primeiro veio o amor, depois a música”, relembra Carol. Estabelecidos em São Paulo desde 2014, a curitibana e o sergipano se conheceram em uma roda de violão quando ainda residiam em Brasília. Mas foi só depois de se radicarem na tumultuosa capital paulista que decidiram dilatar a relação para o plano musical. “Tudo aconteceu de forma bastante espontânea e despretensiosa”, diz a cantora e compositora. “Sempre gostei muito de escrever, então mostrei ao Tai algumas letras que tinha feito e antes que percebêssemos já estávamos tocando e trabalhando juntos nas canções que fariam parte do álbum.”

Após reunir um punhado de faixas, a dupla foi até o Rio de Janeiro para conceber o primeiro trabalho. “Ainda não nos apresentamos ao vivo”, diz Britto. “Nos concentramos tanto na produção desse disco que não tivemos tempo de nos dedicarmos a procurar lugares para fazer show.”

Com produção de Daniel Lopes, Alexandre Griva e do próprio Britto, o álbum totalmente autoral contou com os músicos Lancaster Pinto (baixo), João Viana (bateria) e Ge Fonseca (teclados), além da presença de um quarteto de cordas e um trio de metais.

O duo planeja lançar até o fim do ano um videoclipe gravado em Curitiba e, ainda, realizar uma série de shows para divulgar o som da banda. “Estamos recrutando uma galera aqui em São Paulo para tocar ao vivo com a gente”, diz Britto, listando os planos para o futuro.