Edição 122 - Outubro de 2016

Cedo Demais

Morte do ator Domingos Montagner, da novela Velho Chico, chocou o público e a comunidade artística
  • Imprimir

Foi uma tragédia sentida com muita intensidade pelos fãs e por toda a classe artística, que ficou extremamente comovida. No auge da carreira e amado por todos os colegas, o ator paulistano Domingos Montagner, que estava no ar com o personagem Santo na novela da TV Globo Velho Chico, morreu no dia 15 de setembro, aos 54 anos. Montagner havia gravado cenas naquela manhã, mas tinha a tarde livre na região dos municípios de Canindé de São Francisco, em Sergipe, e Piranhas, em Alagoas. Depois do almoço, ele resolveu nadar no rio São Francisco ao lado da atriz Camila Pitanga, mas uma correnteza forte pegou os dois de surpresa e ele foi levado pelas águas.

Algumas horas após o pedido de ajuda de Camila, que foi quem alertou as autoridades sobre o desaparecimento dele, o corpo do ator foi encontrado preso em pedras a vários metros de profundidade. A análise do Instituto Médico Legal confirmou a causa da morte como afogamento.

O último trabalho de Montagner foi como um dos protagonistas da novela Velho Chico, mas a carreira dele somou 13 programas de TV (entre séries e novelas) e nove filmes. O primeiro papel do artista na televisão foi em 2006, na série Mothern, do GNT. Depois, na Globo, o ator trabalhou nas séries Força Tarefa, A Cura e Divã.

Nascido em 1962, Montagner começou a carreira nos anos 1980, no teatro e no circo, arte que ele seguiu amando e incentivando durante toda a vida. Entre os papéis de maior destaque dele estão o presidente Paulo Ventura na minissérie O Brado Retumbante (2012) e o cangaceiro Herculano em Cordel Encantado (2011). Na Globo, Montagner também trabalhou nas novelas Salve Jorge (2012) e Sete Vidas (2015).

Nas telonas, o artista estreou dando vida ao Coronel Raimundo em Gonzaga – De Pai pra Filho (2012), dirigido por Breno Silveira, e foi protagonista em A Grande Vitória (2014) e De Onde Eu Te Vejo (2016). Ele ainda atuou nos longas Através da Sombra (2015) e nos recentes Vidas Partidas (2016) e Um Namorado para Minha Mulher (2016).

Domingos Montagner deixou a esposa, Luciana Lima, e três filhos.