Dia do Rock: oito canções para provar a força das guitarras em 2015

  • Imprimir
Alabama Shakes
Divulgação
por ROLLING STONE/OFERECIMENTO TIM
13 de Julho de 2015 às 11:27

Embora as paradas sejam atualmente dominadas pelo pop e pelo rap, o rock não para: o gênero símbolo da rebeldia chega, em 2015, a seis décadas de existência, mas com gana de adolescente. Comprovamos isso com a playlist a seguir, com grandes canções representantes do estilo lançadas em discos deste ano.

Alabama Shakes - "Don't Wanna Fight"
O Alabama Shakes (foto) sacudiu a cena com o primeiro disco da carreira, Boys & Girls (2012), por isso as expectativas para um novo trabalho eram altas. A vocalista Brittany Howard e seus companheiros de banda atenderam a todas elas no ótimo Sound & Colour, como mostra esse primeiro single: as guitarras que remetem ao soul da década de 1960 e os falsetes de Brittany ganham o ouvinte na primeira audição.

Fall Out Boy - "Novocaine"
Esse punk rock dançante revela o alcance da voz de Patrick Stump, que no refrão atinge algumas das mais altas notas mostradas por ele na discografia da banda. Se com o álbum Save Rock and Roll (2013) o quarteto voltou a ativa, com American Beauty/American Psycho os integrantes provaram que ainda são uma banda de verdade.

Sleater-Kinney - "Surface Envy"
Foram dez anos sem lançar nada. O resultado? Um dos melhores álbuns de rock do ano. Corin Tucker, Carrie Brownstein e Janet Weiss dão uma aula de rock simples e direto em No Cities to Love. As guitarras em espiral de “Surface Envy” são apenas um gostinho do que o trio é capaz, com Corin usando seus vocais rasgados, como nos velhos tempos.

Courtney Barnett - "Elevator Operator"
A nova compositora mais celebrada de 2015 lançou o disco de estreia, Sometimes I Sit and Think, and Sometimes I Just Sit, depois de dois EPs bem-sucedidos. É difícil não sentir o carisma da australiana em faixas como essa, que seguem a linha do disco: letras que parecem narrar um dia qualquer na vida da cantora, mas que no fundo podem servir para descrever diversos sentimentos e situações.

Blur - "Go Out"
O baixo funkeado de Alex James se destaca quase tanto quanto a guitarra ora limpa ora distorcida de Graham Coxon neste que é o primeiro single de The Magic Whip, primeiro disco do Blur em 12 anos. O tempo que a banda permaneceu separada parece não ter afetado em nada o tino de composição dos integrantes.

Faith No More - "Cone of Shame"
O Faith No More em grande forma, com o desespero e a ironia dos vocais de Mike Patton em capacidade máxima. O público brasileiro vai poder ouvir essa e outras faixas do disco Sol Invictus ao vivo em setembro, quando a banda fará shows no festival Rock in Rio e em São Paulo.

Muse - "Mercy"
Todos os elementos do rock de arena grandioso do Muse estão exemplificados nesta canção: piano, vocais urgentes, os riffs de Matthew Bellamy... Apesar de alguns efeitos eletrônicos, “Mercy” mostra do que é feito o disco Drones: menos experimentações, mais rock and roll. Eles também poderão ser vistos no Brasil em breve (em outubro, em São Paulo e no Rio de Janeiro).

Supercordas - "Maria³"
O vocalista Pedro Bonifrate descreve essa música como tendo um quê de Belle and Sebastian, mas não se engane - apesar de bastante melódica, "Maria³" tem riffs sujos, contribuição de Benke, guitarrista do Boogarins. O novo disco da banda deve sair em setembro.

Ouça a playlist completa no serviço de streaming Deezer.

Leia também