Nova câmera é capaz de editar vídeos sozinha

A Graava usa diversos sensores para fazer edições de maneira automática
  • Imprimir
TIM - Graava
Divulgação
por ROLLING STONE/OFERECIMENTO TIM
24 de Ago. de 2015 às 16:37

Para quem adora fazer vídeos, mas não tem conhecimentos de edição (ou tempo disponível para esse tipo de atividade), a recém-lançada câmera Graava pode ser uma ferramenta bastante interessante.

O dispositivo usa uma série de sensores para fazer com que a própria câmera faça, sozinha, a edição de vídeos, transformando horas de gravações em vídeos de minutos (você escolhe quanto tempo o vídeo deve ter no final). Ela tem bateria com autonomia para até três horas de uso contínuo – ou seja, é possível gravar um vídeo de três horas e depois selecionar que ele seja automaticamente editado em cinco minutos de imagens.

Mas como esse pequeno objeto é capaz de fazer isso? Segundo a empresa, a Graava funciona como a memória do cérebro humano, registrando apenas o que interessa. Ela tem dois microfones embutidos, sensores de movimento e de iluminação, acelerômetro e é compatível, via Bluetooth, com monitores de batimentos cardíacos. Um exemplo: você deixou a câmera na sua bicicleta, para gravar um passeio. Em determinado momento, algum objeto passou diante da câmera; em outro, você se deparou com algo que fez seu coração acelerar. Com base nessas informações, em que coisas “diferentes” foram captadas pelos sensores da câmera, a edição é realizada.

Há ainda mais diferenciais: a partir da música que o usuário escolhe para sonorizar o vídeo, o dispositivo “percebe” em que ritmo reunir as imagens. Tudo fica salvo na nuvem, e com um app de celular é possível compartilhar direto nas redes sociais.

Para saber mais sobre a Graava, acesse o site oficial. Veja o produto em funcionamento no vídeo abaixo (em inglês):

Leia também