Playlist: 45 anos depois de estrear nos palcos, o Aerosmith permanece com um repertório cheio de gemas do hard rock

  • Imprimir
Aerosmith
AP
por ROLLING STONE/OFERECIMENTO TIM
5 de Nov. de 2015 às 18:08

Em 6 de novembro de 1970, a formação inicial do Aerosmith subiu ao palco pela primeira vez. Seria o início de uma trajetória intensa, com milhões de discos vendidos e algumas loucuras pelo caminho. O vocalista Steven Tyler e o guitarrista Joe Perry escreveram inúmeras baladas juntos, mas nós resolvemos celebrar canções mais rápidas da banda. Então, imagine que você está com o rosto ao vento em um carro conversível (como fazem Alicia Silverstone e Liv Tyler no clipe da romântica “Crazy”) e dê o play na seleção abaixo.

“Movin’ Out”, Aerosmith (1973)
Essa foi a primeira composição em dupla dos Toxic Twins – o “carinhoso” apelido dado a Steven Tyler e Joe Perry por conta do apreço dos dois por substâncias ilícitas. A canção foi apresentada no primeiro show da banda.

“Same Old Song and Dance”, Get Your Wings (1974)
Joe Perry é mestre em riffs de guitarra eficientes, capazes de fazer qualquer se perder na air guitar. É o caso dessa canção, primeiro single do segundo disco da banda. Na passagem do Aerosmith pelo Brasil em outubro de 2013, ela entrou no setlist do show de Curitiba.

“Walk this Way”, Toys in the Attic (1975)
O Aerosmith já vinha fazendo sucesso, mas esse disco levou o grupo a um novo patamar – é, até hoje, o álbum mais vendido deles em seu país natal, os Estados Unidos. Em meados dos anos 1980, quando a banda estava em baixa, o uso de um sample da canção pelo trio de rap Run-D.M.C. ajudou a colocar o quinteto de volta no mapa.

“Last Child”, Rocks (1976)
Não se engane: o começo calmo logo dá lugar a uma troca de acordes cheia de funk entre os guitarristas Joe Perry e Brad Whitford, que assina a composição ao lado de Steven Tyler.

“Get It Up”, Draw the Line (1977)
Assim como outras bandas icônicas na década de 1970, como os Rolling Stones e o Led Zeppelin, o Aerosmith – especialmente Tyler e Perry – exalava sexualidade. O que faz essa canção ser um tanto curiosa: ela conta com o verso “Can’t get it up” (no contexto da letra, algo como: “Não consigo fazer subir”).

“Rag Doll”, Permanent Vacation (1987)
Uma expressiva seção de metais marca o último single desse disco, que foi extremamente importante para a banda depois de uma derrocada influenciada por anos de abuso de drogas e brigas internas, que inclusive levaram a uma saída temporária de Joe Perry e Brad Whitford.

“Going Down/Love in an Elevator”, Pump (1989)
Uma das músicas mais famosas do Aerosmith, é hit certo nos shows. Também tem um dos clipes mais malucos da banda – além de mostrar um casal que parte para a ação em um elevador (Joe Perry e a esposa, Billie Paulette Montgomery), há personagens “avulsos” no vídeo, em parições no mínimo curiosas (qual seria o sentido de uma sequência que mostra uma espécie de açougueiro e personagens de O Mágico de Oz?).

“Fever”, Get a Grip (1993)
Para quem não gosta dos ritmos musicais ligados ao carnaval brasileiro, mas se identifica com o clima hedonista da festa, essa é uma boa trilha.

“Falling in Love (Is Hard on the Knees)”, Nine Lives (1997)
Dona de outro vídeo peculiar no currículo do Aerosmith, “Falling in Love...” tocou incessantemente na MTV (o clipe inclusive ganhou o prêmio de Melhor Vídeo de Rock no Video Music Awards 1997). Quem assistia ao canal na época provavelmente se lembra da cartola à la Slash usada por Tyler na produção.

“Lover Alot”, Music from Another Dimension (2012)
Rápida e furiosa, essa canção do mais recente disco de inéditas do Aerosmith prova que, mesmo depois de brigas que quase levaram ao fim da banda (no fim da última década, os integrantes teriam até procurado um vocalista para substituir Tyler), os veteranos continuam fazendo hard rock de qualidade.

Ouça a playlist completa no serviço de streaming TIMmusic by Deezer.

Leia também