Programas usam redes neurais para criar imagens psicodélicas e antes inimagináveis

Usando como base o DeepDream, desenvolvido pelo Google, apps como Ostagram e Dreamify alteram fotos de maneira imprevisível

Rolling Stone/Oferecimento TIM Publicado em 22/04/2016, às 09h00 - Atualizado às 16h36

TIM - Neural
Reprodução/Ostagram

Cada imagem que você vê nesta página é o produto da combinação de duas figuras diferentes, que, graças a uma tecnologia que “mistura” as duas, dá origem a uma nova e surpreendente obra de arte. O trabalho é feito no Ostagram , um programa russo que usa redes neurais, que imitam algumas funções do cérebro humano.

O Ostagram usa como base o DeepDream, um programa desenvolvido pelo Google. O DeepDream usa redes neurais para criar imagens psicodélicas baseadas em um processo chamado pareidolia algorítimica. O nome é realmente estranho, mas você certamente já vivenciou episódios de pareidolia. Por exemplo: quando seu cérebro te faz enxergar imagens distintas em nuvens? Isso é pareidolia.

A pareidolia algorítimica imita esse processo por meio de redes neurais de computador. Esse modus operandi de reproduzir o funcionamento do cérebro é, inclusive, algo que serve como base para algoritmos usados em diversos aplicativos.

Dá para brincar com a capacidade psicodélica de alteração de fotos de redes neurais com o próprio site do DeepDream ou com apps como o Dreamify . O Ostagram, no entanto, é bem mais interessante, já que combina duas imagens completamente diferentes, enquanto o DeepDream e o Dreamify fazem alterações randômicas a partir de apenas uma imagem.

A desvantagem do Ostagram é que o site está todo em russo. Resta esperar por versões em outros idiomas.

OstagramOstagramOstagram