As 100 Maiores Vozes da Música Brasileira

  • 100
  • 99
  • 98
  • 97
  • 96
  • 95
  • 94
  • 93
  • 92
  • 91
  • 90
  • 89
  • 88
  • 87
  • 86
  • 85
  • 84
  • 83
  • 82
  • 81
  • 80
  • 79
  • 78
  • 77
  • 76
  • 75
  • 74
  • 73
  • 72
  • 71
  • 70
  • 69
  • 68
  • 67
  • 66
  • 65
  • 64
  • 63
  • 62
  • 61
  • 60
  • 59
  • 58
  • 57
  • 56
  • 55
  • 54
  • 53
  • 52
  • 51
  • 50
  • 49
  • 48
  • 47
  • 46
  • 45
  • 44
  • 43
  • 42
  • 41
  • 40
  • 39
  • 38
  • 37
  • 36
  • 35
  • 34
  • 33
  • 32
  • 31
  • 30
  • 29
  • 28
  • 27
  • 26
  • 25
  • 24
  • 23
  • 22
  • 21
  • 20
  • 19
  • 18
  • 17
  • 16
  • 15
  • 14
  • 13
  • 12
  • 11
  • 10
  • 9
  • 8
  • 7
  • 6
  • 5
  • 4
  • 3
  • 2
  • 1
26

Cauby Peixoto

  • Imprimir
Reprodção/Site oficial

Dono de personalíssima voz de barítono, de intensidade amplificada por seus arroubos de interpretação, Cauby Peixoto cruzou a fronteira dos 80 anos na ativa, entronizado no posto de um dos maiores cantores do Brasil de todos os tempos. Pela afinação, pelo tom aveludado e pela natural fluência nos graves e agudos, a voz de Cauby logo ressoou com força no Brasil dos anos 50. Seu grande sucesso, “Conceição”, marcou inexoravelmente aquela década. Por vezes embaçada por repertório aquém da força do mito, essa voz arrebatada surgiu na era do rádio, passou imune pela revolução estética da bossa nova e se filiou à MPB, nascida na era dos festivais sem jamais perder a classe ou o tom. Embora seja símbolo e produto da era dos dós-de-peito, Cauby Peixoto jamais canta tão lindo quando poda os excessos em nome do rigor estilístico.