Os 100 Maiores Discos da Música Brasileira

  • 100
  • 99
  • 98
  • 97
  • 96
  • 95
  • 94
  • 93
  • 92
  • 91
  • 90
  • 89
  • 88
  • 87
  • 86
  • 85
  • 84
  • 83
  • 82
  • 81
  • 80
  • 79
  • 78
  • 77
  • 76
  • 75
  • 74
  • 73
  • 72
  • 71
  • 70
  • 69
  • 68
  • 67
  • 66
  • 65
  • 64
  • 63
  • 62
  • 61
  • 60
  • 59
  • 58
  • 57
  • 56
  • 55
  • 54
  • 53
  • 52
  • 51
  • 50
  • 49
  • 48
  • 47
  • 46
  • 45
  • 44
  • 43
  • 42
  • 41
  • 40
  • 39
  • 38
  • 37
  • 36
  • 35
  • 34
  • 33
  • 32
  • 31
  • 30
  • 29
  • 28
  • 27
  • 26
  • 25
  • 24
  • 23
  • 22
  • 21
  • 20
  • 19
  • 18
  • 17
  • 16
  • 15
  • 14
  • 13
  • 12
  • 11
  • 10
  • 9
  • 8
  • 7
  • 6
  • 5
  • 4
  • 3
  • 2
  • 1
36

Falso Brilhante - Elis Regina (1976, Philips)

  • Imprimir
Reprodução

Por Marcus Preto


Falso Brilhante era o nome do revolucionário show que Elis estreou no final de 1975, no Teatro Paramount. Dirigido por Miriam Muniz, o espetáculo misturava música e interpretação teatral, e fez estrondoso sucesso de público e crítica. O disco gravado em estúdio no ano seguinte só trazia parte desse repertório (e, estranhamente, não incluía a faixa-título), mas mantinha as novidades levadas no palco: arranjos com forte pegada de rock e blues e duas canções políticas de um artista novo: “Como Nossos Pais” e “Velha Roupa Colorida”, do cearense Belchior.