“Coincidências” de Raul Seixas: quando a inspiração beira o plágio

Relembre e compare canções em que o ícone do rock brasileiro pegou linhas e harmonias emprestadas de faixas internacionais
  • Imprimir
Raul Seixas
Divulgação
por Paulo Cavalcanti
21 de Ago. de 2017 às 11:54

Raul Seixas era uma enciclopédia musical. Ele conhecia a fundo o trabalho dos pioneiros do rock and roll, se aprofundava na obra de artistas de rhythm and blues e de country music, além de absorver a música do nordeste e os hits pop do tempo em que viveu. Ou seja, Raul era um sujeito que transitava com facilidade entre os universos de Elvis Presley e de Luiz Gonzaga, como demonstrou na junção de ”Blue Moon of Kentucky” e “Asa Branca”.

Sendo essa esponja musical, Raul por vezes se inspirava um pouco além da conta. Ele não tinha nenhum pudor de pegar canções dos artistas que gostava e usá-las em suas próprias composições sem dar o crédito. Muitos podem argumentar, com alguma razão, que em certos casos, Raul cometia plágios, pegando linhas melódicas e progressões harmônicas e as usando em seu benefício.

É impossível não lembrar do talento e da importância de Raul Seixas para o rock nacional. Ainda assim, vale conhecer algumas das “coincidências” musicais da obra de Raulzito.




“Rock das Aranhas” x “Killer Diller” (Jim Breedlove)
Este é provavelmente o caso mais conhecido de apropriação envolvendo o Maluco Beleza. Sem dúvida, “Rock das Aranhas” é uma cópia bem descarada de “Killer Diller”, gravação do astro do R&B Jim Breedlove. É tão evidente que o próprio Raul confessou ao jornalista Ayrton Mugnaini Jr. que “meteu a mão” na canção, como pode ser ouvido em dos áudios abaixo.




“S.O.S.” x “Mr Spaceman” (The Byrds)
Aqui, Raul não se inspirou apenas na melodia country da canção do The Byrds. Ele também copiou a temática da letra da canção dos californianos, falando de um encontro com seres extraterrenos.




“O Rock do Diabo” x “Honey Don’t” (Carl Perkins)
Raul reproduziu nesta faixa o riff e a levada rítmica do rockabilly clássico de Carl Perkins, que depois foi regravado pelos Beatles.




“Mas I Love You (Pra ser Feliz)” x “Here Tonight” (Gene Clark)
É impossível não notar as evidentes semelhanças entre a canção de Raul e esta faixa de country rock gravada por Gene Clark, que foi vocalista do The Byrds.




“Peixuxa” x “Ob-La-Di, Ob-La-Da” (The Beatles)
Quando Paul McCartney escreveu “Ob-La-Di, Ob-La-Da”, a intenção dele era fazer um ska. Mas a gravação ficou mais com cara de bubblegum do que de música jamaicana. Raul não pensou duas vezes em decalcar “Peixuxa” em cima da canção lançada pelo Fab Four lançada em 1968. É só ouvir a introdução de piano e a linha de baixo.




“O Dia da Saudade” x “Get Back” e “Back in the U.S.S.R.” (The Beatles)
Em “O Dia da Saudade”, Raul junta duas criações dos Beatles em uma única canção. Ele copia a introdução de “Get Back” e depois cita o refrão de “Back in The U.S.S.R.”.




"A Verdade Sobre a Nostalgia" x “My Baby Left Me” (Arthur Crudup/Elvis Presley)
A introdução de baixo, o toque de bateria e as linhas de guitarra em "A Verdade Sobre a Nostalgia" são similares a “My Baby Left Me”, composição do bluesman Arthur Crudup e depois popularizada por Elvis Presley.

Recomendadas