Craig Mack, rapper do clássico “Flava in Ya Ear”, morre aos 47

O músico, que havia deixado a indústria fonográfica para se dedicar à religião, morreu de insuficiência cardíaca

Rolling Stone EUA Publicado em 13/03/2018, às 13h16 - Atualizado às 17h03

O rapper Craig Mack
RTBunn/MediaPunch/IPX/AP

Craig Mack, o primeiro rapper a ter um sucesso lançado pelo icônico selo Bad Boy Records (fundado por P. Diddy), morreu na última segunda, 12, aos 47 anos. De acordo com uma publicação do New York Daily News desta terça, 13, o músico teria morrido devido a insuficiência cardíaca. A morte foi confirmada pelo antigo produtor de Mack, Alvin Toney.

O rapper ganhou notoriedade através do clássico “Flava in Ya Ear” – música que chegou ao top 10 em 1994, vendendo mais de um milhão de cópias – e, consequentemente, o remix feito por Notorious B.I.G, LL Cool J, Busta Rhymes e Rampage. O produtor Diddy disse ao jornal The New York Times, em 1995, que “Craig é o George Clinton do hip-hop. Ele faz as coisas com o coração, que é onde tudo começa pra ele. Mas a energia dele vem de outro lugar”.

Nascido no bairro do Queens, em 1971, Craig Mack foi um dos responsáveis por tornar o Bad Boy Records em sinônimo do hip-hop de Nova York, iniciando o selo que futuramente lançaria astros como Notorious B.I.G., Mase e outros 112 nomes. Em um perfil feito pelo The New York Times, Mack contou que foi apresentado ao rap por um primo, aos nove anos de idade, e que aos 12 já havia começado a escrever letras próprias. “Eu sabia que queria ser como LL Cool J e Run-D.M.C.”, ele contou na época. Se aproximou dos membros do grupo EPMD, e com eles começou a participar de turnês, mesmo sem se apresentar. Ele contou à publicação que fazia bicos nas viagens, mas que mesmo assim a experiência foi válida. “O tempo todo eu aprendia sobre o estúdio ou sobre a vida na estrada.”

Em 1988, sob o pseudônimo de MC EZ, Mack lançou, junto ao DJ Troup, um vinil com as faixas “Just Rhymin” no lado A e “Get Retarded” no lado B, através do selo Fresh Records. O lado B se tornaria um clássico entre os fãs de rap. O músico acabou conhecendo Diddy – que na época havia acabado de ser demitido da Up Town Records e queria montar a Bad Boy – na casa de shows Mecca, em Manhattan: o rapper fez um freestyle para o produtor e imediatamente fechou um contrato de disco.

Após o sucesso de “Flava in Ya Ear” e do álbum Project: Funk Da World, o músico passou por certa dificuldade em manter a qualidade do material inicial. Deixou a Bad Boy Records e lançou Operation: Get Down, em 1997, disco que não gerou nenhum hit. Eventualmente, Mack se tornou reverendo no estado da Carolina do Sul e, em 2012, apareceu em um vídeo renunciando a carreira de rapper. Sobre essa decisão, Sean Combs disse à Billboard, em 2017, que “ninguém ficou desapontado. A gente respeitou a vontade dele.”

No começo deste ano, Erick Sermon (metade do duo EPMD) havia recrutado Mack, Method Man e Mr. Cheeks para participarem da faixa “Come Thru.”, primeiro single do álbum que ainda está para ser lançado. Em um tuíte, Sermon disse estar “devastado com a notícia”. O rapper LL Cool J também aproveitou para declarar que “Foi um prazer conhecer você. Você se distanciou do jogo, e fez isso da sua maneira. Eu sempre respeitei isso.”

Alvin Toney, que ajudou na produção de Project: Funk Da World, disse ao New York Daily News que estava trabalhando em um documentário sobre Mack. “Ninguém chegou a entender a história dele”, o produtor disse. “Queria que o mundo soubesse do talento que ele tinha. Era algo que eu queria que as pessoas aproveitassem, mas que foi podado logo no início, porque ele era muito religioso e queria ir à igreja.”

Veja abaixo o clipe de “Flava in Ya Ear”, o remix de Notorious B.I.G, LL Cool J, Busta Rhymes e Rampage e também “Get Retarded”