Criolo é coadjuvante em parceria com Ivete Sangalo para homenagear Tim Maia

Pré-estreia de projeto dos cantores com a Nivea foi realizada nesta terça-feira, 31, no Rio de Janeiro
  • Imprimir
Criolo e Ivete Sangalo
Divulgação
por Lucas Borges
1 de Abril de 2015 às 02:37

O evento promove o encontro do rapper Criolo com a cantora de axé Ivete Sangalo prestando uma homenagem ao músico Tim Maia. Os opostos, contudo, teimaram em não se atrair durante a pré-estreia da quarta edição do projeto da Nivea em prol da música popular brasileira, nesta terça-feira, 31, no Rio de Janeiro.

Discografia comentada: Tim Maia, o groove do síndico.

Demorou quase 1h de show até que a plateia repleta de atores globais, no Vivo Rio, finalmente visse no que daria o inusitado encontro.

Opinião – A história por trás da cena cortada do especial Tim Maia, da Rede Globo

Antes disso, com o apoio de uma poderosa banda de 14 integrantes entre metais, backing vocal, baixo, guitarra, teclado, bateria e percussão, Ivete soltou o vozeirão em “Não Quero Dinheiro (Só Quero Amar)”, gravada anteriormente por ela, “Gostava Tanto de Você”, “Você”, e em uma grooveada versão de “Azul da Cor do Mar”.

Novo álbum de Gal Costa terá composição de Criolo e será "mais pop do que o anterior".

Na quinta música do show, Criolo apareceu sozinho, flertando de forma sedutora com a plateia, para cantar “Primavera”. Na introdução do espetáculo, o lendário produtor musical Nelson Motta (biógrafo de Tim Maia) falou sobre os excessos que marcaram para o bem e para o mal a carreira do cantor, que morreu em 15 de março de 1998. Não havia excesso algum em Criolo. Com voz tímida, o paulistano cantou também “Chocolate” (em ritmo de samba), antes de voltar discretamente ao camarim.

Bananada 2015: festival goiano anuncia shows de Criolo, Pato Fu e Tropkillaz,

Deveria ter ficado, já que o que veio a seguir foi a fase racional de Tim Maia, conteúdo que alimentou nos últimos anos o imaginário da cena alternativa nacional, influenciando, inclusive, o maior grupo de rap da história do país, os Racionais MC’s, certamente, fonte de inspiração para Criolo.

Mas ele não estava lá quando Ivete cantou “Imunização Racional (Que Beleza)” e “Bom Senso”. A boa baiana ainda emendou “Réu Confesso” e “Telefone”. Nesta segunda, o guitarrista da banda (clone de Tim Maia) fez duo com a cantora: por que não Criolo?

O incrível e inesgotável repertório de Tim continuava dando pano pra manga, mas só para Ivete. Seguiram-se “Não Vou Ficar” e a romântica “O Que Me Importa” até que, depois de quase 1h de show, os astros da noite enfim se apresentassem juntos.

Eles começaram na também melosa “Lamento”, que virou a swingada “Sossego” e, em seguida, “Do Leme ao Pontal” e “Você e Eu, Eu e Você”. Pouco se ouviu da voz do rapper.

Edição especial da Rolling Stone Brasil apresenta os 100 Maiores Momentos da Música Brasileira.

Criolo deveria ter reassumido o microfone sozinho em outra da fase racional, “Ela Partiu”, mas, pasmem, foi Daniel Ganjaman, produtor musical do espetáculo (e também dos discos de Criolo) e espécie de maestro da banda, quem ‘chamou a responsa’ no vocal dos versos “Se soubesse onde ela foi…”.

Criolo mostra amadurecimento e imersão na música brasileira em Convoque Seu Buda.

O rapper interpretou “Eu Amo Você” e se encontrou de vez em “Coroné Antonio Bento”, que o aproximou, em forma de repente, das rimas dos álbuns Nó Na Orelha e Convoque Seu Buda. Ele fez um belo e humilde discurso em homenagem aos pais (presentes na plateia) e a Tim Maia e recebeu Ivete de volta para a ‘popularesca’ “Canário do Reino”.

Ganjaman, que tocou até guitarra em alguns momentos, ganhando a admiração de Ivete, gastou a garganta de novo em “A Festa do Santo Reis”.

A diva transformou “Leva” em reggae e quando parecia que todos os hits do Rei do Soul já haviam sido ouvidos, ainda foram interpretados “Um Dia de Domingo”, “Descobridor dos Sete Mares”, “Acenda o Farol” e “Vale Tudo”.

O público comum, que já havia ouvido nos últimos anos, por oferecimento da Nivea, Elis Regina na voz de Maria Rita, Tom Jobim por Vanessa da Mata, e o samba brasileiro por Martinho da Vila, Alcione, Roberta Sá e Diogo Nogueira, poderá presenciar Criolo e Ivete entre abril e junho em shows gratuitos em Porto Alegre, Recife, Salvador, Fortaleza, Brasília, Rio (novamente) e São Paulo.

Nivea Viva Tim Maia

Porto Alegre
12 de abril (domingo), às 16h30
Anfiteatro Pôr do Sol
Av. Edwaldo Pereira Paiva, s/n (Localizado no Parque Maurício Sirotsky
Sobrinho, na orla do Lago Guaíba) - Porto Alegre - RS

Recife
26 de abril (domingo), às 16h30
Praia do Pina
Av Boa Viagem, s/n - Pina - Recife - PE

Salvador       
24 de maio (domingo), às 16h30
Praça Visconde de Cairu
Comércio (Cidade Alta) - Salvador - BA

Fortaleza
31 de maio (domingo), às 16h30
Aterro da Praia de Iracema
Avenida Historiador Raimundo Girão, 800 - Fortaleza – CE

Brasília      
14 de junho (domingo), às 17h00
Parque da Cidade Dona Sarah Kubitschek
Praça das Fontes
Asa Sul de Brasília - Estacionamento 9 - acesso 906/7 Sul - Brasília - DF

Rio de Janeiro
21 de junho (domingo), às 17h00
Praia de Copacabana
(altura da Av. Princesa Isabel) - Copacabana - Rio de Janeiro - RJ

São Paulo
28 de junho (domingo)
Local e horário a confirmar