Disco de estreia da Pitty, Admirável Chip Novo completa 10 anos e ganha lançamento em vinil

“Sabia o que queria, mas estava apenas descobrindo como realizar”, lembra a cantora

Lucas Reginato Publicado em 10/04/2013, às 16h42 - Atualizado às 16h42

Pitty - Admirável Chip Novo
Divulgação

Lá se vão dez anos desde que Pitty gravou seu primeiro disco e chegou às rádios de todo o país com sucessos como “Máscara” e “Equalize”. Para comemorar a data, a Polysom lançará o álbum Admirável Chip Novo em vinil.

A cantora compartilha com a Rolling Stone Brasil lembranças daquela época. “Sabia o que queria, mas estava apenas descobrindo como realizar”, diz. “Me lembro do cheiro do estúdio, e da varanda onde discutimos dilemas, onde chorei de nervoso, onde comemoramos conquistas de cada dia de gravação.”

Lançado originalmente em abril de 2003, o disco cujo título faz referência ao livro Admirável Mundo Novo, de Aldous Huxley, chamou logo atenção do público. Com seu primeiro trabalho, a cantora chegou ao topo da lista de mais vendidos, com 370 mil cópias. Pitty afirma que olha para o trabalho “com carinho e gratidão, como quem olha para alguém que foi importante no passado. Como aquele melhor amigo da adolescência que embora a vida tenha levado por caminhos diferentes dos seus, quando se encontra é sempre genuíno e agradável”.

Perfil: eternamente preocupada com a influência nociva da fama, Pitty já consegue aproveitar as vantagens de ser célebre.

Desde a faixa inicial, “Teto de Vidro”, até a final, “Semana que Vem”, foram diversas as músicas autorais emplacadas nas rádios. “Estava fazendo faxina no cubículo onde morávamos em Ipanema, e deixava o rádio ligado naquela de ‘vai que...’”, lembra, sobre a primeira vez que se ouviu. “De repente rolou e eu parei, aumentei o volume e fiquei lá com a vassoura na mão, ouvindo atentamente. Queria saber se estava soando bem... como estava o som em relação às outras músicas... como se não fosse eu.”

Além do sucesso, foram outros os legados deixados pelo disco. A parceria com o produtor Rafael Ramos, ela destaca, permanece até hoje.

Para que seja mantida a identidade visual do álbum, o vinil de 180 gramas será roxo, e deve chegar às lojas a partir da segunda quinzena deste mês.