Disney anuncia data de lançamento para o novo Indiana Jones

Harrison Ford e Steven Spielberg se reuném novamente para o quinto filme da série
  • Imprimir
por Redação
7 de Março de 2017 às 13:16

A Disney confirmou que o quinto filme Indiana Jones estreia no dia 19 de junho de 2019.

A direção está nas mãos de Steven Spielberg e o ator Harrison Ford retorna ao papel do arqueólogo. O roteiro é de David Koepp e a trilha sonora é de John Williams, conhecido pelos trabalhos em Star Wars. Kathleen Kennedy e Frank Marshall atuam como produtores.

“Indiana Jones é um dos maiores heróis na história cinematográfica, e nós mal podemos esperar para trazê-lo de volta à telona em 2019”, disse Alan Horn, presidente da Disney, em um comunicado. “É raro ter uma combinação tão perfeita de diretor, produtores, ator e papel, e não poderíamos estar mais animados para embarcar nessa aventura com Harrison e Steven.”

LEIA TAMBÉM
George Lucas não está envolvido no quinto filme de Indiana Jones
Steven Spielberg garante que não “matará” personagem de Harrison Ford no novo Indiana Jones

O filme chega depois da tentativa de rebootar a cinessérie em 2008, com Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal, em que Ford se juntou a Shia LaBeouf (ele interpretou o filho de Jones). Havia a esperança de que o jovem ator, então, continuaria levando adiante a franquia, mas o longa não foi tão bem recebido e os outros filmes nunca vieram.

Os produtores Kathleen Kennedy e Frank Marshall garantem que o quinto Indiana Jones, ainda sem nome, deve contar com atores jovens, como aconteceu no quarto, mas que Ford continua sendo Indy. Ainda não se sabe quem mais vai reforçar o elenco.

Esse é o primeiro Indiana Jones da Disney. Em 2012, a empresa comprou a Lucasfilm, o que incluía a aquisição dos direitos a Star Wars. Porém, a gigante do entretenimento teve que fazer um acordo separado com o estúdio original de Indiana Jones, a Paramount, para poder ficar com esta franquia. Neste acordo, realizado em 2013, ficou decidido que a Paramount manteria os direitos sobre os quatro primeiros longas e, ainda, que pode uma participação nos lucros de produções futuras.

Recomendadas