Roger Waters inicia turnê brasileira em Porto Alegre

Com espetáculo grandioso e homenagem a Jean Charles de Menezes, Roger Waters emociona público gaúcho

Murilo Basso, de Porto Alegre Publicado em 26/03/2012, às 06h31 - Atualizado em 30/03/2012, às 13h15

Roger Waters inicia turnê brasileira em Porto Alegre

Ver Galeria
(6 imagens)

A turnê brasileira de The Wall foi iniciada na noite deste domingo, 25, em Porto Alegre. Com cerca de 40 minutos de atraso (o início estava marcado para 20h) devido ao trânsito complicado na região do show, Roger Waters subiu ao palco montado no estádio Beira-Rio para mostrar um espetáculo idealizado três décadas atrás, mas mais atual do que nunca.

A apresentação de Waters transcende o conceito de um simples show. Além da música, a grande força desta turnê de The Wall está em seu conjunto: às canções são acrescentados inúmeros efeitos sonoros e visuais - o arquiteto Mark Fisher, responsável pelo palco original de The Wall e por algumas turnês do U2, como Zoo TV e 360º, recriou o concerto realizado originalmente na década de 80 de forma única.

Reerguendo o muro: como Roger Waters, ex-Pink Floyd, domou seus demônios, retomou seu legado e ressuscitou a obra-prima The Wall

"In the Flesh?" abre o show com um antigo avião de guerra se chocando contra o muro e entrando em chamas. Já na segunda música, “The Thin Ice”, imagens de pessoas que perderam suas vidas em conflitos são projetadas no muro, que se estende pelos 137 metros de largura do palco. Em “Another Brick in the Wall Part 2” um grupo de crianças canta com Waters.

O discurso fortemente político está presente em todo o show. Partindo da Segunda Guerra Mundial, Waters passeia por diversos períodos para criticar o capitalismo, símbolos religiosos e, sobretudo, o Estado. "Dedico esse concerto a Jean Charles e sua família pela luta pela verdade e justiça, e a todas as vítimas do terrorismo de Estado", diz o ex-líder do Pink Floyd, se referindo ao brasileiro morto em 2005 por uma unidade armada da Scotland Yard dentro do metrô de Londres. Em "Goodbye Blue Sky", que encerra a primeira parte da apresentação, o público é exposto a dezenas de bombardeiros, enquanto o muro que é erguido durante a apresentação já separa completamente a plateia de Waters.

Após um intervalo de 20 minutos, o ex-Pink Floyd retorna atrás do muro com “Hey You”. Em “Nobody Home”, alguns tijolos saem e Roger Waters canta em frente a uma televisão. "Comfortably Numb", com Robbie Wyckoff responsável pela voz de David Gilmour na gravação original, e "Run Like Hell" são os grandes momentos da segunda parte, que após 1 hora convida o público a “derrubar o muro”.

Os tijolos vêm abaixo e os músicos tocam “Outside the Wall” enquanto se despedem do palco. A turnê de Roger Waters segue agora para o Rio de Janeiro na próxima quinta-feira, 29, no Engenhão, e encerra sua passagem pelo país em São Paulo, nos dias 1 e 3 de abril.

Confira abaixo o set list do show:

"In the Flesh?"

"The Thin Ice"

"Another Brick in the Wall Part 1"

"The Happiest Days of Our Lives"

"Another Brick in the Wall Part 2"

"Mother"

"Goodbye Blue Sky"

"Empty Spaces"

"What Shall We Do Now?"

"Young Lust"

"One of My Turns"

"Don't Leave Me Now"

"Another Brick in the Wall Part 3"

"The Last Few Bricks"

"Goodbye Cruel World"

Intervalo

"Hey You"

"Is There Anybody Out There?"

"Nobody Home"

"Vera"

"Bring the Boys Back Home"

"Comfortably Numb"

"The Show Must Go On"

"In the Flesh"

"Run Like Hell""

"Waiting for the Worms"

"Stop"

"The Trial"

"Outside the Wall"