Esposa de Chris Cornell culpa remédio para ansiedade por suicídio: “Ele estava diferente”

“Quando nós conversamos após o show, eu percebi que ele estava falando com dificuldade”, disse Vicky Cornell em um comunicado
  • Imprimir
por Rolling Stone EUA
19 de Maio de 2017 às 10:43

Vicky Cornell, a esposa de Chris Cornell, vocalista do Soundgarden, publicou um comunicado nesta sexta, 19, em que falava sobre o marido, que morreu na última quinta, 18, aos 52 anos, e especulou sobre se o suicídio dele foi o resultado de tomar muito do remédio para ansiedade.

“A morte de Chris é uma perda indescritível e criou um vazio no meu coração que jamais será preenchido. Assim como todos que o conheciam comentaram, Chris era um pai e marido devotado. Ele era meu melhor amigo”, Vicky escreveu.

“O mundo dele girava em torno da família em primeiro lugar e, é claro, a música em segundo. Ele viajou para casa no dia das mães para passar um tempo com a nossa família. Ele pegou um voo durante o dia na quarta-feira, o dia do show, após ficar com as crianças. Quando nós conversamos antes do show, discutimos planos de uma viagem no Memorial Day e outras coisas que nós queríamos fazer.”

No entanto, após a apresentação do Soundgarden na última quarta, 17, Vicky notou uma mudança no comportamento do marido quando eles se falaram pelo telefone.

“Quando nós conversamos após o show, eu percebi que ele estava falando com dificuldade; ele estava diferente. Quando ele me disse que pode ter tomado um ou dois Ativan a mais, eu contatei a segurança e pedi para ficarem de olho nele”, ela continuou. “O que aconteceu é inexplicável e eu espero que novos exames médicos deem mais detalhes. Eu sei que ele amava nossos filhos e ele não os machucaria ao acabar intencionalmente com a própria vida.”

LEIA TAMBÉM
Saiba mais sobre a morte de Chris Cornell, vocalista do Soundgarden e Audioslave
Última música cantada por Chris Cornell teve citação a “In My Time of Dying”
“Incrivelmente talentoso, incrivelmente jovem”, disse Jimmy Page sobre Chris Cornell

Um advogado da família Cornell, Kirk Pasich, reiterou a crença de Vicky de que uma dose extra de Ativan, um remédio para ansiedade muitas vezes utilizado na recuperação de viciados, alterou a faculdade mental de Cornell após o show em Detroit, nos Estados Unidos. Pasich acrescentou que a família de Cornell está “incomodada com as conclusões de que Chris teria intencionalmente acabado com a própria vida”.

“Sem os resultados dos exames toxicológico, não sabemos o que estava acontecendo com Chris – ou se alguma substância contribuiu para a morte dele”, Pasich disse. “Chris, um viciado em recuperação, tinha uma receita para Ativan e pode ter tomado mais do remédio do que a dose recomendada. A família acredita que se Chris se suicidou, ele não sabia o que estava fazendo, e que drogas ou outras substâncias podem ter afetado suas ações.”

Pasich acrescentou que os efeitos colaterais de Ativan incluem “pensamentos paranoicos ou suicidas, dificuldade na fala e julgamento falho”; Vicky Cornell havia notado os problemas na fala do marido após o show da última quarta, 17.

Ela acrescentou que “o amor e apoio vindo dos fãs, amigos e família dele significa mais para nós do que vocês imaginam. Obrigada por isso, e por entender o quanto isso é difícil para nós”.

Segundo o Daily Mail, Chris Cornell cumprimentou fãs calorosamente pouco depois do show, desejando-os boa sorte e dizendo que os amava. Ele também posou para fotos e disse para alguns que os veria em Columbus, Ohio, onde a banda se apresentaria nesta sexta, 19. De acordo com o jornal, ele teria se comportado de maneira “absolutamente normal” e parecia feliz em falar com os fãs.

Horas após a morte de Cornell, que foi encontrado no banheiro do quarto de hotel, um exame médico confirmou que o cantor havia cometido suicídio por enforcamento.

Recomendadas