Gal Gadot só fará Mulher-Maravilha 2 se Warner Bros. demitir Brett Ratner, diz site

Produtor norte-americano foi acusado de assédio sexual por diversas mulheres, incluindo as atrizes Ellen Page e Natasha Henstridge
  • Imprimir
por Redação
13 de Nov. de 2017 às 15:34

Gal Gadot, estrela de Mulher-Maravilha, se recusa a fazer outro filme com a Warner Bros. até que a empresa corte laços com Brett Ratner e a produtora dele, RatPac-Dune Entertainment. A notícia ainda não foi confirmada pela companhia, e as informações são do Page Six.

A decisão da atriz chega após diversas mulheres, como Olivia Munn (The Newsroom), Natasha Henstridge (As Espiãs) e Ellen Page (Juno), acusarem Ratner de assédio sexual. O produtor e diretor norte-americano negou envolvimento nos casos, e está processando Melanie Kohler, uma ex-funcionária, pela acusação de estupro.

Gal Gadot: “Toda pessoa deveria ser feminista, porque quem não é feminista é sexista”

De acordo com o Page Six, a RatPac-Dune Entertainment participou da produção de Mulher-Maravilha, como parte de um acordo financeiro com a Warner Bros. O filme arrecadou mais de US$ 400 milhões ao redor do mundo, lucro que beneficiou a empresa de Ratner.

Um funcionário da Warner Bros. afirmou ao veículo que a atriz não interpretará novamente a heroína se o caso continuar sem mudanças. “Gadot disse que não irá fazer outro filme da franquia, a não ser que a Warner Bros. tire Brett [do acordo financeiro] e se livre dele.”

No último mês de outubro, Gal postou no Instagram uma mensagem de apoio às mulheres que denunciaram casos de assédio em Hollywood. “Bullying e assédio sexual são inaceitáveis! Eu estou com todas as corajosas mulheres que enfrentaram seus medos e estão falando. Estamos juntas nesses tempos de mudança.”


Recomendadas