Grupo que pediu para Gil e Caetano não se apresentarem em Israel fará protesto em show de Pharrell Williams

Artista é questionado por parceria com rede de supermercados que fez acordos com o governo israelense

Redação Publicado em 05/08/2015, às 12h01 - Atualizado às 23h07

Pharrell Williams
AP

Pharrell Williams enfrentará protestos durante shows na África do Sul, em setembro, por parte do BDS (sigla para boicote, desinvestimento e sanções), grupo pró-Palestina que também liderou um apelo para que Gilberto Gil e Caetano Veloso não se apresentassem em Israel.

Caetano Veloso se justifica em carta a Roger Waters e mantém show em Israel.

Segundo a Reuters, o BDS irá para a rua contra parceria de Williams com a rede de supermercados local Woolworths, que faz negócios com o governo de Israel, responsável, segundo o BDS, por ocupações autoritárias de territórios e outros abusos contra o povo palestino na região reivindicada e disputada pelos dois países.

Pharrell Williams se junta à ONU para promover o Dia Internacional da Felicidade.

A prefeitura da Cidade do Cabo já rejeitou uma solicitação para um protesto por parte da organização em 21 de setembro, quando o músico norte-americano cantará por lá. O Grand West Casino, palco do espetáculo, disse que não irá tolerar manifestações.

Snoop Dogg viaja ao futuro acompanhado de Stevie Wonder e Pharrell no clipe de "California Roll".

Segundo Braam Hanekom, membro do BDS na África do Sul, o grupo pode bloquear as vias de acesso para o local. “Ele [Pharrell] está para enfrentar a maior revolta que qualquer artista já enfrentou no país em mais de 30 anos, desde os dias do apartheid”, disse o representante. “Está chegando em um ambiente repleto de irritação e insatisfação com o fato de ele ter ter escolhido se unir à Woolworths”.

Retrospectiva 2014: artistas que se aventuraram no mundo da moda.

O artista e a rede de supermercados não comentaram o assunto. Anteriormente, a Woolworths alegou que não vende produtos plantados em territórios ocupados pelo governo israelense e que menos de 0,1% dos seus alimentos vem de Israel.

O BDS conseguiu atrair o apoio de celebridades como Roger Waters e o arcebispo da Igreja Anglicana sul-africana Desmond Tutu em um pedido para que Gil e Caetano cancelassem um show em solo israelense. A mobilização não teve resultado e a dupla brasileira acabou tocando lá em 28 de julho com a turnê Dois Amigos, Um Século de Música. Antes deles, Lauryn Hill cancelou um compromisso em Tel Aviv, em maio deste ano, e Sinead O'Connor fez o mesmo no ano passado.