Jack Johnson destrói muros em clipe anti-Trump para “My Mind Is for Sale”

A nova faixa faz parte do próximo disco do cantor e compositor, All the Light Above It Too
  • Imprimir
por Rolling Stone EUA
14 de Julho de 2017 às 12:08

Jack Johnson constrói e destrói muros em um inteligente lyric video para “My Mind Is for Sale”, o primeiro single do novo disco dele, All the Light Above It Too. O LP tem lançamento marcado para o dia 8 de setembro, através da gravadora de Johnson, a Brushfire Records. A letra de “My Mind Is for Sale” cutuca o presidente norte-americano Donald Trump, mas a abordagem da melodia de Johnson se mantém gentil sobre um efervescente groove instrumental.

Johnson falou à Rolling Stone EUA que ele gravou o vídeo de “My Mind Is for Sale” no iPhone dele, utilizando um aplicativo de animação. No clipe em stop-motion, o músico utiliza blocos com a letra da música escrita neles para construir muros antes de os derrubá-los. "I don't care for your paranoid 'us against them' walls", Johnson canta. "I don't care for your careless 'me first, gimme gimme' appetite at all."

“Meus filhos me ajudaram a fazer”, Johnson disse sobre o vídeo de “My Mind Is for Sale”. “Agora, os blocos deles têm palavras escritas deles. Foi o clipe mais barato que eu já fiz. Zero dólares.”

My Mind Is For Sale (Lyric Video) by Jack Johnson on VEVO.

All the Light Above It Too é o sétimo LP de Johnson e o primeiro desde 2013, quando From Here to Now to You foi lançado. Johnson gravou o disco no próprio estúdio, chamado Mango Tree Studio, tocando ele mesmo a maioria dos instrumentos. Ele finalizou o LP com a ajuda dos colegas de banda de longa data e do produtor Robbie Lackritz.

“Este álbum é o que esteve na minha mente ao longo do último ano”, Johnson disse sobre o trabalho. “Um ano em que eu naveguei pelo Giro do Atlântico Norte para um documentário sobre a poluição de plástico no oceano. Um ano em que Trump foi eleito presidente dos Estados Unidos. Um ano em que eu acampei, surfei, explorei, sonhei e tive conversas infinitas com minha família e amigos… tudo isso inspirou essas músicas. Eu normalmente faço rascunhos das canções primeiro e depois programo uma hora para gravar de fato. Desta vez, os rascunhos originais se tornaram as versões finais. Eu não quis perder o espírito que uma música tem em sua forma mais crua.”

Recomendadas