John Mayer toca por mais de duas horas e meia em São Paulo

Cantor e guitarrista ficou surpreso ao ver a Arena Anhembi lotada
  • Imprimir
por Paulo Cavalcanti
20 de Set. de 2013 às 16:49

Em sua primeira passagem por um palco brasileiro, o músico norte-americano John Mayer não negou fogo. O show que fez na quinta, 19, na Arena Anhembi, em São Paulo, foi acompanhado por 25 mil pessoas, um público predominante feminino, que berrava cada vez que Mayer ganhava um close no telão; as meninas, muitas ostentado balões verdes e amarelos, gritavam “John, I love you” a cada oportunidade.

Antes de Mayer, se apresentou o cantor Phillip Phillips, que ganhou a edição 2012 do programa American Idol. Por volta das 22h, foi a vez do dono da noite aparecer. Com a barba por fazer, vestindo jeans, uma jaqueta azul e um lenço na cabeça, Mayer faz o estilo “despojado charmoso”. Ele não sorri muito e, se na vida pessoal tem fama de mulherengo e baladeiro, dentro do palco passa a imagem de músico sério e virtuoso. Mayer é um cantor apenas razoável e agradável, mas é um excelente e criativo guitarrista e passeia com muita facilidade por jazz, pop, folk, country e o que mais der na telha, sempre tocando de um jeito relax e pouco forçado.

A abertura da apresentação ficou com a canção “No Such Thing”, que contou com a participação do grupo de percussão Meninos do Morumbi. A sequência teve hits, faixas do recente Paradise Valley e várias canções que os fãs conhecem de trás para frente como “Queen of California”, “Half of My Heart” e “Paper Doll”. O músico partiu então para uma sequência acústica com “Your Body Is a Wonderland”, “Daughters” (uma das mais festejadas da noite, com as garotas que estavam frente ao palco sendo mostradas no telão chorando enquanto cantavam a letra), “Free Fallin'” (cover de Tom Petty, outra que foi cantada a plenos pulmões por muita gente) e “Stop This Train” (executada depois de ser requisitada pelo público ).

Ao longo do show, Mayer agradecia aos fãs, dizendo com bastante sinceridade que não pensou que conseguisse levar tanta gente assim a um local tão grande no Brasil, e disse que certamente vai retornar. Na última parte do setlist, os hits foram se acumulando, com Mayer e banda tocando com muita vontade “Waiting on the World to Change”, “Dear Marie”, “Something Like Olivia”, “Wheel”, “Who Says”, “If I Ever Get Around to Living”, “Vultures”, “The Age of Worry” e “Why Georgia”. No bis, ele veio com uma versão acústica para “Neon” e fechou com “Gravity”, sua canção mais conhecida. Foi uma versão longa, onde o músico brilhou na guitarra. Quando os derradeiros acordes terminaram, a apresentação já chegava à marca de duas horas e 40 minutos.

John Mayer se apresenta no palco principal do Rock in Rio no sábado, dia 21.

Recomendadas