Johnny Depp é processado por agredir membro da equipe durante filmagens de City of Lies

O ator teria dado um soco no gerente de locação e oferecido aproximadamente R$ 400 mil para que ele batesse de volta, segundo o processo
  • Imprimir
por Rolling Stone EUA
10 de Julho de 2018 às 12:04

Na última segunda, 9, Johnny Depp adicionou mais um processo e mais uma polêmica à crescente lista de problemas nos quais tem se metido. De acordo com uma publicação do site da revista The Hollywood Reporter, ele foi processado por agredir Gregg “Rocky” Brooks, gerente de locação do filme City of Lies, próximo lançamento da carreira do ator.

Na acusação, registrada três dias antes, Brooks disse que Depp o agrediu verbalmente, deu dois socos nas suas costelas e ofereceu $100 mil (aproximadamente R$ 400 mil) para que ele batesse de volta. Como se não bastasse, o integrante da equipe alega que foi demitido da produção do longa após se recusar assinar um acordo de confidencialidade que o impediria de processar o ator.

O caso em questão teria acontecido em abril de 2017, quando Brad Furman, diretor do filme, pediu para que Brooks avisasse Depp que as filmagens do dia acabariam após a cena seguinte, pois não estava dando certo. O gerente relatou que o ator reagiu à notícia com diversos xingamentos e, antes que pudesse pedir ajuda a um policial, o astro o teria agredido, dizendo: “Eu pago $100 mil para você me bater agora”.

A Rolling Stone EUA entrou em contato com um representante do ator, mas não obteve resposta.

Recentemente, dois seguranças acusaram Depp de não ter efetuado os devidos pagamentos pelos serviços contratados e por colocá-los em situações “tóxicas”. Além disso, Amber Heard, ex-esposa do ator, o acusou de agressão.

Em City of Lies, Depp interpreta Russell Poole, um policial de Los Angeles investigando o assassinato do rapper Notorious B.I.G. Forest Whitaker também está no elenco, vivendo um jornalista também envolvido na caça pelo assassino. O longa estreia em 7 de setembro nos Estados Unidos.

Recomendadas