Liam Gallagher está disposto a reunir o Oasis

Vocalista do Beady Eye deu entrevista à uma rádio norte-americana, acenando para a possibilidade de uma turnê comemorando os 20 anos do disco (What's the Story) Morning Glory?, em 2015
  • Imprimir
Liam Gallagher
Foto: AP
por Andy Greene
22 de Out. de 2011 às 09:31

Os Stone Roses podem não ser o único grupo de britpop se preparando para uma reunião. Liam Gallagher conta à Rolling Stone EUA que ele consideraria se reconciliar com seu irmão Noel e reunir o Oasis para o aniversário de 20 anos do lançamento do álbum (What's the Story) Morning Glory?. "Em 2015, se pudermos deixar a merda de lado, podemos fazer uma turnê e tocar o álbum integralmente para o 20º aniversário", diz ele. "Eu toparia isso, se fosse do nosso jeito. Deve haver um respeito mútuo."

Leia textos das edições anteriores da Rolling Stone Brasil – na íntegra e gratuitamente!

Em uma entrevista de rádio em agosto deste ano, Noel Gallagher disse que acabar com o Oasis foi uma decisão precipitada. "Poderíamos, talvez, termos todos saídos e feito outras coisas por alguns anos", ele disse. "Na minha cabeça, em 2015, o aniversário de 20 anos de Morning Glory é eminente e nós poderíamos ter voltado, feito um disco novo e tocado este disco inteiro e teria sido a melhor coisa de todos os tempos, mas veja só."

Os dois irmaõs não se falam mais, mas Liam conta ao veículo que os comentários públicos de Noel o fizeram pensar sobre a turnê de aniversário. "É ele quem continua mencionando isso", diz Liam. "Eu quero tirá-lo de sua tristeza. Mas antes, eu acho qu ele precisa fazer o seu negócio solo e perceber que ele não é tão bom sem seu irmão. Ele tem de ver isto por si mesmo. Eu estou disposto a isso - não estou desesperado. Se não rolar, eu não dou a mínima, estou bem feliz com o Beady Eye."

Quando a Rolling Stone EUA falou com Noel em agosto, nós perguntamos a ele sobre a possibilidade de uma reunião do Oasis. "Liam disse que a ideia o faz vomitar e jamais aconteceria", disse ele. "Então eu não preciso acrescentar nada a isso. Eu não preciso da porra do dinheiro, mas eu acho uma pena que canções como 'Champagne Supernova', 'Rock 'n' Roll Star', 'The Importance of Being Idle' e 'The Shock of the Lightning' não sejam tocadas novamente. Em um estádio. Esse tipo de coisa me enche de tristeza. O dinheiro é meio que irrelevante."

Ele continuou: "Há bandas que dizem: 'Não queremos voltar. Teríamos de fazer um novo álbum.' Por quê? Foda-se o disco novo. Ninguém dá a mínima pro seu disco novo. Toque as coisas velhas. Os caras do Led Zeppelin são tipo: 'Vai haver um disco novo'. É mesmo? Porque isso seria do caralho, não? Toque a porra de 'Whole Lotta Love'. Supere isso."

Reportagem adicional por Colleen Nika