A História do Cinema Para Quem tem Pressa resume mais de uma década de cinema

O jornalista, crítico, professor e cineasta Celso Sabadin cumpre com eficiência a missão de fazer mais de 100 anos caberem em um livro

Paulo Cavalcanti Publicado em 17/07/2018, às 14h26 - Atualizado às 14h27

A História do Cinema Para Quem tem Pressa
Divulgação

É praticamente impossível resumir os quase 120 anos da história da sétima arte em poucas palavras. Mas o jornalista, crítico, professor e cineasta Celso Sabadin cumpre esta missão com eficiência em A História do Cinema Para Quem tem Pressa, lançado pela Editora Valentina.

Em cerca de 200 páginas, Sabadin fala de tudo o que aconteceu de mais relevante no cinema, desde os tempos em que pioneiros, como Thomas Edison e Os Irmãos Lumière, fizeram com que as imagens em movimento começassem a dominar a imaginação do grande público. Naturalmente, a narrativa de Sabadin abrange de forma completa a indústria cinematográfica urdida em Hollywood, mas tudo começa no cinema mudo. Depois, o autor discorre sobre a era de ouro, acontecida dos anos 1930 aos 1950. Sabadin, então, avança, detalhando a explosão de criatividade ocorrida na década de 1970 com os filmes revolucionários da chamada Nova Hollywood, movimento capitaneado por George Lucas, Steven Spielberg, Francis Ford Coppola e outros.

O cinema comercial é destrinchado através de textos sobre blockbusters, franquias, sequências e remakes. O autor também joga foco no cinema de arte e detalha ciclos importantes como o expressionismo alemão, o neorrealismo italiano e a nouvelle vague francesa. Como não poderia deixar de ser, o crítico não se esquece da sétima arte produzida no Brasil. Como indica o título, livro é endereçado primariamente a leigos e iniciantes, mas tudo é feito com critério e informação, tornando-se essencial ao público interessado.