Lollapalooza 2014: Kid Cudi conquista o público, mas faz show limitado no palco eletrônico

Sem muitos recursos, rapper norte-americano se apoiou em hits para garantir a energia da apresentação

Luísa Jubilut Publicado em 05/04/2014, às 23h43 - Atualizado em 06/04/2014, às 18h36

Kid Cudi no Lollapalooza 2014
EGLER MEDEIROS/T4F

Cinco minutos antes do previsto, Scott Ramon Seguro Mescudi, mais conhecido como Kid Cudi, subiu ao Palco Perry neste sábado, 5, completamente sozinho.

O excesso de luz do telão fez com que apenas a silhueta do rapper ficasse visível – a iluminação seguiu falha durante toda a performance, mas nesse momento tornou quase poético o início do show. Sem enrolar, Cudi lançou logo três hits. “REVOFEV”, “Down & Out” e “Soundtrack 2 My Life” foram suficientes para aquecer a plateia. Os refrãos pré-gravados permitiam que o rapper saísse da música para convocar os fãs.

“Quer saber? Eu amo vocês”, confessou, antes de explicar que iria levar todos os presentes em uma jornada. “Eu queria poder estar aí embaixo com vocês, mas entendo a beleza de ficar aqui em cima para comandar essa festa.” O fundo espacial deu lugar a uma série de vídeos, com cenas de bastidores – com direito a momentos de descontração e cigarros suspeitos - e de apresentações tão enérgicas quanto aquela.

A tenda foi dominada pela luz verde e “Marijuana” começou a tocar. Apesar de ter sido um dos pontos altos da apresentação, o momento mostrou uma das maiores falhas do show, quando o poderoso solo de guitarra foi reproduzido por uma mera caixa de som. Se acompanhado por uma banda, o rapper poderia ter levado a faixa – e outras músicas – a outro nível. A limitação do show foi ficando cada vez mais evidente e Cudi se tornou refém dos hits – durante as faixas menos conhecidas, a audiência do rapper caía.

“Erase Me” e “Man On The Moon” retomaram a energia dos presentes. Momento perfeito para “Memories”, feita em parceria com David Guetta (fazendo jus ao palco eletrônico). Uma versão reduzida do hit “Day’ n’ Night” foi deixada para mais um momento bem-humorado de Cudi. “Como vocês falam ‘fuck’ em português?”, perguntou. “Fôda! Fôda!”, respondeu ele mesmo com um sotaque engraçado.

Antes da última da noite, Mescudi afirmou estar muito contente com sua primeira passagem pela América do Sul. Depois de citar nomes de bandas do line-up como Nine Inch Nails e Cage the Elephant, comemorou: “Acredita que eu sou o único rapper deste festival?”. A versão mais “light” de “Pursuit Of Happiness”, feita em parceria com o MGMT, foi engolida pelo remix da faixa feito por Steve Aoki, que garantiu um final poderoso, condecorado por uma chuva de papel picado.