Lollapalooza 2014: New Order fala espanhol, homenageia Ian Curtis e encerra festival

Gafes do vocalista Bernard Sumner prejudicaram interações com o público

Luísa Jubilut Publicado em 06/04/2014, às 23h19 - Atualizado em 14/04/2014, às 14h12

New Order no Lollapalooza 2014
MROSSI/T4F

“Reflektor”, do Arcade Fire, fez companhia ao público que aguardava o New Order. A banda entrou em cena às 21h33 neste domingo, 6, no Palco Interlagos. “Nós somos o New Order!”, gritou Bernard Sumner. “Nós estamos em São Paulo! Nós estamos no Brasil!” A série de anúncios redundantes terminou com uma menção a Manchester – cidade onde o grupo, formado por remanescentes do Joy Division, se conheceu.

Depois de “Elegia” e “Crystal”, veio a primeira gafe da noite. O “muchas gracias” de Sumner foi seguido por silêncio desconfortável. “Nós amamos o Brasil”, tentou consertar. “Nós amamos caipirinhas e mojitos, e bife.”

“Transmission” foi a primeira do Joy Division da noite, seguida por “Singularity”, tocada pela primeira vez no Lollapalooza Chile e erroneamente divulgada pela mídia como “Drop The Guitar”. “O nome desta música é ‘Singularity’, e não porra de ‘Drop The Guitar’, reclamou.” O vocalista ainda fez questão de soletrar o título ao final da música e reforçar: “Cheque na Wikipédia.”

“Cerimony” e “Age Of Consent” colocaram o público, ainda intimidado pela antipatia de Sumners, para dançar. “Muchas gracias, thank you, obrigado”, disse depois de “Your Silent Face”.

As favoritas do público foram, definitivamente, “Bizarre Love Triangle” e “Blue Monday”. Durante a segunda faixa, pela ela primeira (e única) vez, a plateia pode testemunhar um sorriso de Gillian Gilbert quando Sumner assumiu o teclado e começou um solo brincalhão que continuou após o término da faixa.

Depois de “Temptation”, o vocalista se despediu pelo grupo – também composto por Tom Chapman, Stephen Morris e Phil Cunningham - e deixou o palco com os companheiros de banda. A multidão não esperou pelo “bis Joy Division” e se dispersou antes de “Atmosphere”, que contou com um vídeo em homenagem a Ian Curtis, morto em 1980, e o show de fogos de artifício do festival. “Love Will Tear Us Apart” tentou retomar a energia de “Blue Monday” mas, às 22h12, o público estava mais interessado em voltar para casa.