Lollapalooza 2018: Mano Brown prova capacidade de fazer dançar no festival

Com show solo, MC dos Racionais entretém, mesmo estando “deslocado” no evento
  • Imprimir
por Lucas Brêda
24 de Março de 2018 às 20:48

“Zona Sul é quebrada do suingue, do balanço”, anunciou Mano Brown, fazendo referência ao Autódromo de Interlagos, onde acontece o Lollapalooza 2018. A plateia não era exatamente formada por gente da Zona Sul de São Paulo, mas nem por isso o público ficou indiferente ao groove da banda Boogie Naipe, formada por mais de 15 músicos, incluindo o vocalista Lino Krizz e o guitarrista Duani.

O MC dos Racionais levou ao palco Axe a festa de música negra que é seu show solo, com dançarinos preenchendo ainda mais o palco. Com Boogie Naipe, Brown dá a visão da periferia brasileira do soul, funk e R&B, unindo o estilo de rimar que o eternizou no hip-hop com clima de “baile black”. “O que o vagabundo não consegue falar, Boogie Naipe fala por ele”, comentou, destacando o caráter “romântico” do repertório.

Apesar de bastante lotada, a plateia estava espaçada e interagiu batendo palmas e dançando, mas pouco conhecia das rimas de Brown no projeto solo. O show ficou mais agudo com a citação a Cassiano (“Castiçal”) em “Eu te Proponho” e a guitarra de Max de Castro a partir de “Flor do Gueto” (“A música do chefe — se não cantar não tem show”, brincou) e Don Pixote em “Dance, Dance, Dance”.

“Jorge, já começou o jogo?”, Brown perguntou ao filho sobre a partida do Santos, quando já invadia o horário do show do Imagine Dragons no palco ao lado. O Lollapalooza não é o espaço em que o MC se sente mais à vontade, mesmo assim, ele provou a capacidade de fazer dançar e deixou um recado: é importante “dançar em tempos difíceis”.

Acompanhe a cobertura do Lollapalooza 2018 pelas nossas redes sociais: estamos no Twitter (@rollingstonebr), Facebook (/rollingstonebrasil) e Instagram (@rollingstonebrasil), com resenhas e fotos e stories dos melhores momentos dos shows.

Recomendadas

Leia também