MC5, banda pioneira do protopunk, anuncia turnê comemorativa de 50 anos e nova biografia

Wayne Kramer, guitarrista original do grupo, pretende revisitar o álbum Kick Out the Jams acompanhado de antigos membros do Soundgarden e do Fugazi

Rolling Stone EUA Publicado em 06/03/2018, às 17h09 - Atualizado às 19h26

A banda norte-americana pioneira do protopunk MC5
Reprodução/Vídeo

Wayne Kramer, guitarrista e letrista original da banda de rock MC5, declarou que pretende comemorar os 50 anos do lendário Kick Out the Jam (álbum de estreia do grupo, gravado ao vivo durante duas noites em 1968, uma ano antes de ser lançado), com uma turnê e uma nova biografia.

Em um comunicado, Kramer deu a entender que o cenário político atual fez com que a música do MC5 se tornasse mais valiosa que que antes. “As mensagens do MC5 sempre residiram no senso das possibilidades: uma nova música, uma nova política, um novo jeito de viver”, ele diz. “Hoje em dia temos um regime político corrupto no poder, uma guerra sem fim a milhares de quilômetros de distância e uma violência fora de controle devastando nosso país. Cada vez fica mais difícil distinguir se estamos falando de 1968 ou 2018. Me sinto na obrigação de compartilhar essas músicas que criei com meus irmãos 50 anos atrás.”

Acompanhando o guitarrista original, a turnê contará com o guitarrista Kim Thayil (Soundgarden), baterista Brendan Canty (Fugazi), baixista Dug Pinnick (King’s X) e o vocalista Marcus Durant (Zen Guerrilla), grupo que Kramer está chamando de MC50, e comparando a “punks em uma viagem de metanfetamina”. O baterista original, Dennis Thompson, fará participações em datas específicas.

Em todos os shows, a banda tocará o álbum Kick Out the Jams inteiro, além de um bis rotativo. Kramer explica que “o mundo tem vivido com essas músicas queimando durante meio século, então não estou interessado em fazer uma reprodução fiel de um disco que você conhece desde sempre. Está na hora de trazer o monstro de volta à vida, com músicos extremamente talentosos e que interpretarão as faixas com o estilo único de cada um.”

Além da turnê, que deve contar com mais de 30 apresentações, Kramer também planeja lançar uma biografia no segundo semestre do ano, e conta: “Acabei aceitando que éramos uma banda perigosa, e que eu vivia uma vida perigosa”. Esses perigos serão todos relatados em The Hard Stuff: Dope, Crime, the MC5 and My Life of Impossibilities, que tem previsão de lançamento para o dia 14 de agosto nos Estados Unidos.