Mike McCready, guitarrista do Pearl Jam, grava música com órfãos

O músico convidou cinco jovens para registraram a composição original “Try So Hard” em estúdio

Rolling Stone EUA Publicado em 14/02/2018, às 13h50 - Atualizado às 18h40

Joseph e Mike McCready durante a gravação da faixa "Try So Hard"
Reprodução

O guitarrista Mike McCready, integrante do Pearl Jam, se juntou à organização sem fins lucrativos Treehouse (que ajuda órfãos do estado de Washington a se graduarem na escola e a se prepararem para a vida adulta), para produzir uma faixa inédita no mesmo estúdio em que a banda faz gravações. McCready e mais cinco jovens que nunca haviam tocado em um estúdio criaram a música “Try So Hard”, um som suave e encorajador sobre se fortalecer e superar um passado difícil.

O músico contou à Rolling Stone EUA que “era um grupo de meninos que não se conheciam, então não dava para saber o que aconteceria”, e disse também que a experiência foi edificante. Ele conheceu os jovens, que têm entre 15 e 20 anos, através da Treehouse, organização da qual McCready já foi voluntário há dez anos. “Eles ajudam órfãos que precisam de suporte para terminar os estudos, contribuindo com fundos financeiros para acampamentos de verão, aulas e até roupas novas – coisas que muitos de nós não damos tanta importância”, ele conta. Impressionado pelo trabalho da organização, o guitarrista já topou tocar “em frente a uma prateleira de sapatos”, na loja gratuita que a Treehouse organiza para os jovens, além de participar de doações e de jogos de futebol das crianças.

Ele acrescenta que “não há nada mais importante que ajudar crianças. Se conseguirmos fazer isso em organizações de base, é possível que a gente consiga atingir o cenário mais amplo. Você age localmente, e aí cresce para um nível global.”

As gravações foram especialmente significativas para Franky Price, jovem de 20 anos que está em um abrigo para órfãos há dois anos, e tem se envolvido intensamente com a Treehouse. Price foi responsável pela maior parte das rimas da música e, apesar de já ter feito gravações caseiras, essa foi a primeira vez em que produziu no que ele descreveu como “um legítimo estúdio desse tamanho”. Ele também contou à RS EUA que, apesar de não ser uma ávido fã de Pearl Jam (“Eu aprecio a música deles, claro”, ele diz), conhecer McCready mostrou a ele que “nem todo mundo no mundo da música é um babaca, nem todo mundo é egoísta”, e que entrosar com o guitarrista em um nível humano foi inspirador. Price diz também se identificar com McCready, que luta contra a doença de Crohn, já que ele mesmo possui problemas de saúde, incluindo uma condição grave no coração que o obrigou a passar por uma cirurgia cardíaca e outra nas costas, em março do ano passado. “É inspirador saber que ele já enfrentou situações assustadoras em relação à saúde, e que [assim como o garoto] sofreu com a depressão, mas está aqui até hoje fazendo música.”

A gravação durou por volta de quatro horas, mas Price diz que compôs suas parte em 45 minutos. Ele conta que pediu para Rickardo Mendiola, 17, que também estava participando do projeto, tocar alguns acordes no violão, para puxar inspiração, e após algumas tentativas, chegaram a um som que todos gostaram. Mendiola criou a frase que levava “Try So Hard”, e um verso em freestyle, e Price colocou tudo que já passou no verso “Eu carrego muito peso nas minhas costas/ Eu fui ao inferno e voltei/ E ainda não me quebrei”, ele canta. “Eu queria que meu verso fosse pessoal, mas que outras pessoas também conseguissem se identificar”, explica o rapper.

McCready conta que “a música se formou organicamente. Estávamos lá, e foi incrível como tudo surgiu. Os rapazes estavam mandando uns raps, beatbox, umas guitarras, baixo e bateria. Eles criaram a música, e eu pude tocar junto. Não é o jeito comum que surge uma faixa, mas foi muito legal.”

Ele também conta que a empolgação e a vontade que todos tinham de fazer o projeto acontecer o impressionaram. “As pessoas vão responder à sua honestidade de acordo com a música que você cria. Eu conseguia ver isso nos meninos. Eles se encontraram pela primeira vez aquele dia, então todos estavam meio apreensivos. É uma situação bem tensa, principalmente para os que ainda estão aprendendo. Mas todos contribuíram.”

Price, que precisou dar uma pausa na sua carreira de rapper enquanto se recupera das cirurgias, produzir “Try So Hard” com McCready foi uma experiência intensa. Ele conta que “pode soar cafona ou cliché, mas a música realmente consegue aproximar pessoas que não se conhecem e ainda fazê-las criar algo maravilhoso”.

Veja abaixo o vídeo do dia da produção da faixa.