Morgan Freeman é acusado de assédio sexual e pede desculpa em nota

Oito mulheres acusaram o ator de conduta inadequada em diferentes situações ao longo da carreira

Rolling Stone EUA Publicado em 24/05/2018, às 20h09 - Atualizado em 25/05/2018, às 13h08

Morgan Freeman entrega prêmio no Emmy de 2014.
Phil McCarten/AP

Morgan Freeman foi acusado de assédio sexual por oito mulheres. Elas contaram à CNN que o ator fazia comentários inadequados e toques indesejados. Uma das autoras do artigo divulgado pela emissora, Chloe Melas, acusou o vencedor do Oscar de Melhor Ator Coadjuvante de fazer comentários lascivos para ela durante uma entrevista, na frente de colegas. Várias pessoas corroboram as alegações feitas pela rede de notícias.

Em 2015, uma assistente de produção, com 20 anos na época, lembra de toques e comentários indesejados vindos de Freeman durante as filmagens de Despedida em Grande Estilo (2017), que duraram meses. Ela disse que o ator comentava sobre seu físico, esfregava a mão nas partes inferiores de suas costas e, uma vez, tentou incessantemente levantar a saia que ela estava vestindo enquanto perguntava se a assistente estava usando calcinha. O colega de elenco, Alan Arkin, teve que intervir e pediu para que Freeman parasse.

Uma funcionária sênior da produção de Truque de Mestre afirmou que o ator assediava ela e outras colegas de trabalho com observações sobre os respectivos corpos. “Nós sabíamos que se ele estava indo para o set... não usávamos nenhuma blusa com decote, nenhuma calça que mostrasse mais nossos quadris, ou seja, nenhuma roupa que fosse um pouco mais colada”, contou ela.

Há anos, Freeman fez comentários sobre a aparência de Lori McCreary, cofundadora da produtora dele, a Revelations Entretainment, na frente de 400 pessoas, em uma conferência de produtores. McCreary é a presidente da Producers Guild of America, que representa a categoria. “Ela quer ser levada a sério”, disse o ator à multidão. “Mas não se afasta dos vestidos curtos”. Em entrevista ao programa Today, Freeman descartou a polêmica: “Foi apenas algo que eu disse em tom de brincadeira quando eu a conheci, há mais de 20 anos. Como que isso virou notícia agora?”.

Chloe, uma das repórteres que assinam o artigo da CNN, lembrou de ter entrevistado Morgan Freeman em uma coletiva de imprensa quando estava grávida de seis meses. Ele teria dito, nas frente das câmeras: “Adoraria ter estado lá” e “Você está madura”. Os atores que trabalhavam com Freeman, Alan Arkin e Michael Caine, estavam presentes na época. Chloe contou ao supervisor, que a aconselhou a encaminhar o incidente ao supervisor de recursos humanos. Ao entrarem em contato com a Warner Bros, estúdio que estava conduzindo a entrevista, foi dito que nada poderia ser feito, e Chloe optou por não cobrir mais o filme.

“Qualquer pessoa que me conhece ou que já trabalhou comigo sabe que não sou alguém que, intencionalmente, ofenderia ou, conscientemente deixaria alguém desconfortável”, respondeu Freeman em um comunicado após a publicação das alegações. “Peço desculpa a qualquer um que se sentiu desconfortável ou desrespeitado – essa nunca foi a minha intenção.”

O artigo da CNN ainda informou que houve algumas vezes em que os repórteres contataram fontes e, sem dizer a eles quem estavam investigando, os atores e equipe adivinharam o nome de Morgan Freeman. Por outro lado, outros disseram que nunca testemunharam nenhum comportamento inadequado.