Se não fosse por Chester Bennington, “nu-metal não teria influenciado tantas vidas”, diz vocalista do Limp Bizkit

Banda liderada por Fred Durst saiu em turnê com o Linkin Park no ínicio dos anos 2000
  • Imprimir
por Rolling Stone EUA
25 de Julho de 2017 às 14:02

Fred Durst, vocalista do Limp Bizkit, falou sobre como Chester Bennington era um músico excepcional e um amigo querido em entrevista à revista Variety, nesta terça, 25. O vocalista do Linkin Park foi encontrado morto na última quinta, 20, após ter cometido suicídio por enforcamento.

LEIA TAMBÉM
Linkin Park solta comunicado oficial sobre a morte de Chester Bennington
Flashback: Assista a Chester Bennington e Chris Cornell cantando “Hunger Strike”
A potência vocal de Chester Bennington em dez músicas do Linkin Park

“Ele conseguia fazer com que todos que conversavam com ele se sentissem compreendidos e importantes”, disse. “Se não fosse por ele, pela sua voz e por suas palavras, o nu-metal não teria alcançado às massas e influenciado tantas vidas.”

No início dos anos 2000, quando o Linkin Park ainda estava no começo da carreira, a banda foi a Europa pela primeira vez em uma turnê com o Limp Bizkit. Durst relembrou que o público ficou encantado com os vocais ferozes de Bennington. “Enquanto eles se apresentavam, eu pensava: ‘A voz do Chester vai mexer com a cabeça desses jovens.”

“Eu queria abraçá-lo agora e dizer que todos sentimos nossas dores e lidamos com elas de maneiras diferentes”, continuou. “Eu sei que a tortura dele é única, mas eu sempre estaria aqui para escutá-lo e ajudá-lo como pudesse. Mas eu não vou ganhar esse abraço, e isso me deixa muito triste.” Leia a entrevista completa, em inglês, aqui.

Recomendadas