"Nunca vi como o show final", diz Thurston Moore sobre Sonic Youth no SWU

Para o músico, "o Sonic Youth não vai acabar"
  • Imprimir
Água sem Trégua
MARCOS HERMES/DIVULGAÇÃO
por Redação
19 de Jan. de 2016 às 18:48

Se depender de Thurston Moore, o show do Sonic Youth em São Paulo não foi o último. Em entrevista recente à revista Collide, Moore acha estranho ter sido "demonizado" pela pausa: "Não tinha a intenção de terminar com a banda, foi uma grande surpresa pra mim."

A notícia do fim do Sonic Youth veio acompanhada do término do relacionamento de 27 anos entre Moore e a baixista Kim Gordon. Em sua biografia, A Garota da Banda, Kim narrou as circunstâncias do show no SWU em 2011, quando o casal chegou a São Paulo separado.

Reuniões: 20 bandas que gostaríamos que voltassem.

"Nunca pensei como o show final", disse Thurston. "Na minha cabeça, nós faríamos uma pausa até as coisas se acertarem nos nossos universos pessoais. Existem razões para a banda não existir neste momento – todo mundo deve estar na mesma página – mas nunca houve qualquer comunicado. Pelo menos, eu nunca fiz um.”

O nova-iorquino ainda conta que tatuou as palavras "Sonic Life", algo que o definirá para sempre. "O Sonic Youth sempre foi uma ligação entre nós quatro. Para mim, não vai acabar. Escrevo músicas agora e as pessoas dizem: 'isso soa como Sonic Youth'. E não sou eu falando, sabe? Você não está ouvindo Lee [Ranaldo] e Kim porque eles não estão tocando comigo, então é uma situação diferente."

Relembre os shows do SWU

O músico conta ainda que está gravando um disco solo com Paul Epworth, produtor de Adele, chamado Rock & Roll Consciousness. "É claro que permito que os músicos façam o que querem fazer, mas eu tomo as decisões de como o álbum vai soar no fim. Com o Sonic não era assim, eram oito mãos. Nunca vai existir um formato tão democrático. A banda estará sempre comigo. O fato de não estarmos tocando no momento se deve ao que aconteceu nas nossas vidas pessoais."

Relembre último momento da banda no palco

Seis álbuns da banda serão relançados

O Sonic Youth relançará seis dos álbuns menos conhecidos em vinil. A banda norte-americana já havia colocado no mercado novamente os discos clássicos – entre eles Goo, Daydream Nation e Sister – no formato e agora parte para o lado mais obscuro da extensa obra.

Serão relançados todos os trabalhos do Sonic Youth que chegaram às lojas originalmente entre 1994 e 2006 – com a única exceção a Washing Machine, de 1995. Os discos ganharão relançamento pela série Back To Black do selo USM (Union Square Music).

10 grandes artistas cujos discos de estreia são terríveis.

A primeira leva inclui Experimental Jet Set, Trash, and No Star, de 1994,A Thousand Leaves (1998) e NYC Ghosts and Flowers, de 2000. No dia 19 de fevereiro, os outros três álbuns – Murray Street (2002), Sonic Nurse (2004) e Rather Ripped (2006) – voltam às prateleiras das lojas.

Recomendadas