Peter Hook faz oferta para transformar antiga casa de Ian Curtis em museu

Construção com dois quartos na cidade de Macclesfield, na Inglaterra, foi onde o vocalista do Joy Division se suicidou em 1980

Redação Publicado em 21/03/2015, às 14h12

O ex-vocalista do Joy Division, Ian Curtis

Ver Galeria
(6 imagens)

Os atuais donos da antiga casa de Ian Curtis, vocalista do Joy Division, colocaram a construção à venda recentemente. Agora, o ex-companheiro de banda de Curtis e ex-baixista do New Order, Peter Hook, fez uma oferta aos donos para comprar o local e fazer dele um museu dedicado ao amigo. As informações são do NME.

Artista “recria” 20 bandas icônicas – entre elas, o Joy Division – usando LEGO.

O imóvel de dois quartos – localizado no número 77 da rua Barton, na pequena cidade inglesa de Macclesfield – serviu de locação para a cinebiografia de Curtis, Control, em 2007.

À venda por £ 115 mil, o local mantém a aura por ter sido onde o músico se suicidou em maio de 1980, aos 23 anos de idade.

No último mês de fevereiro, um fã de Curtis iniciou uma campanha para arrecadar fundos e fazer o museu na casa. Ele, entretanto, desistiu do projeto, alegando que seria improvável conseguir todo o dinheiro necessário e que os fãs dispostos a ajudar deveriam fazer doações a outros fins, em memória de Ian Curtis.

Peter Hook vs. Bernard Sumner

Em entrevista à revista NME, o líder do New Order e ex-guitarrista do Joy Division, Bernard Sumner, afirmou que a antiga casa de Ian Curtis, para ele, “é um lugar triste”. “Não é bem um local ao qual eu gostaria de ir”, disse.

Crítica: Tocando a Distância – Ian Curtis & Joy Division.

Nesta sexta, 20, Peter Hook respondeu ao antigo companheiro e atual desafeto, em entrevista ao jornal britânico The Guardian: “Sei que Bernard seria desrespeitoso com Debbie [Curtis, viúva de Ian], mas isso é besteira.”

“Ian deixou um legado fantástico e o fato de as pessoas terem sido influenciadas por isso em todo mundo só pode ser uma coisa boa”, justificou o baixista. “Então, acho que alguém deveria transformar [a casa] em um museu.”

Debbie Curtis sentiu raiva e humilhação ao descobrir que “Love Will Tear Us Apart” é sobre ela.

Ele ainda concluiu: “Deveríamos ter um museu em Manchester também, em vez de ter que ir aos restaurantes do Hard Rock para poder ver alguma coisa que tenham relação com a música de Manchester”.