Polêmico show do Radiohead em Israel foi o mais longo da banda em 11 anos

Apresentação foi alvo de críticas de artistas que apoiam o Movimento Boicote, Desinvestimento e Sanções contra o país
  • Imprimir
por Redação
20 de Julho de 2017 às 14:58

Na noite da última quarta-feira, 19, o Radiohead apresentou o show mais longo da banda em 11 anos, na cidade de Tel Aviv, Israel, de acordo com informações da BBC. Nos últimos meses, a apresentação foi alvo de críticas de diversos artistas que apoiam o Movimento Boicote, Desinvestimento e Sanções contra o país (em inglês, Boycott, Divestment and Sanctions Movement, BDS), como o ex-baixista do Pink Floyd Roger Waters.

Antes de tocar “Karma Police”, o vocalista Thom Yorke falou rapidamente sobre o episódio: “Muito foi dito sobre isso [o show], mas, no fim, acabamos fazendo música.” Assista, abaixo, a um registro visual do momento.

Na última segunda, Michael Stipe, ex-vocalista do R.E.M., acalentou a discussão ao declarar, em uma publicação no Instagram, que apoiava a decisão de Yorke e do Radiohead de se apresentar em Tel Aviv.

A publicação dele chegou dois dias após Waters ter novamente atacado Yorke, dizendo que as “lamentações” e a “alienação” dele são “extremamente inúteis.” A declaração foi dada durante uma transmissão ao vivo na página do Facebook do Movimento BDS.

No último mês de junho, Yorke se posicionou contra as críticas ao Radiohead. Ele publicou uma carta direcionada ao diretor Ken Loach, que faz parte dos artistas que condenam a decisão da banda. “Nós não apoiamos [o primeiro ministro de Israel Benjamin] Netanyahu, da mesma forma que não apoiamos Trump, mas ainda assim tocamos nos Estados Unidos.”

Em resposta à mensagem de Stipe, um porta-voz da Palestinian Campaign for the Academic and Cultural Boycott of Israel (Campanha Palestina para o Boicote Acadêmico e Cultural de Israel, em tradução livre), disse que “o diálogo esperado por Michael Stipe vem acontecendo há décadas, e não ajudou, de nenhuma maneira, a Palestina a assegurar liberdade, justiça ou equidade de direitos humanos.”

Recomendadas