Radiohead: dez surpresas que podem rolar nos shows da banda no Brasil

Lucas Brêda Publicado em 12/04/2018, às 18h01 - Atualizado às 19h02

Radiohead no BR | surpresas | abre
Amy Harris/Invision/AP

O Radiohead começou a turnê sul-americana de 2018 com um show em Santiago, no Chile, e bastou o setlist ser divulgado para os fãs brasileiros começarem um rebuliço na internet sobre quais músicas a banda vai tocar nas apresentações de Rio de Janeiro e São Paulo (dias 20 e 22 de abril, respectivamente).



A atual turnê do Radiohead é baseada no disco A Moon Shaped Pool, de 2016, mas já rodou tanto que o setlist “base” foi se modificando ao longo dos anos. Do novo álbum, algumas faixas são quase certezas, entre elas “Daydreaming”, “Ful Stop”, “The Numbers” e “Identikit”. Dos trabalhos mais antigos, há algumas que são tocadas quase sempre, como “Paranoid Android” (OK Computer), “Bloom” (The King of Limbs), “Bodysnatchers” (In Rainbows), “Idioteque” e “Everything in Its Right Place” (ambas de Kid A).



Com uma ajuda da apuração do jornalista Marcelo Costa, do Scream & Yell, no Twitter, já podemos ter pelo menos uma noção do que deve rolar por aqui. Nesta lista, contudo, o que nos interessa são as surpresas. Por isso, listamos – em ordem da mais para a menos provável – algumas músicas que tocaram poucas ou nenhuma vez nesta turnê, mas que podem aparecer nos shows do Radiohead no Brasil. Spoiler: tem faixa que não dá as caras em uma apresentação do grupo há mais de 20 anos.



Por Lucas Brêda


“Videotape” (In Rainbows, 2007)



Não tocada desde: 2017



É verdade, não faz muito tempo que o Radiohead tocou esta música. Ela apareceu seis vezes em setlists de shows desta turnê (que já teve mais de 50 datas), entre 2016 e 2017 e, antes disso, em algumas poucas apresentações de 2012. Apesar de muito tocada entre 2008 e 2009, está longe de ser unanimidade nos shows recentes da banda. Uma das faixas mais tristes – e queridas pelos fãs – do Radiohead, “Videotape” já foi tocada por aqui, na passagem anterior dos britânicos pelo Brasil, em 2009.


“True Love Waits” (A Moon Shaped Pool, 2016)



Não tocada desde: 2016



Uma das músicas mais populares entre os fãs da banda antes de lançada, “True Love Waits” foi tocada esporadicamente e em diferentes versões entre 1995 e 2009. Depois de ganhar uma encarnação definitiva em A Moon Shaped Pool, contudo, ela só apareceu em três apresentações, em maio e agosto de 2016. É outra da ala “músicas muito tristes” do Radiohead que pode chegar aos palcos brasileiros.


“Optimistic” (Kid A, 2000)



Não tocada desde: 2016



Não se engane com a data acima: “Optimistic” só apareceu uma única vez na atual turnê do Radiohead. Constante na excursão de In Rainbows (2007), a faixa foi completamente ignorada na turnê seguinte, de The King of Limbs (2011), até que Thom Yorke e companhia a reviveram em junho de 2016, na França. Em 2009, “Optimistic” foi tocada em São Paulo, mas não no Rio de Janeiro.


“Jigsaw Falling Into Place” (In Rainbows, 2007)



Não tocada desde: 2009



Assim como outras músicas da lista, não há nenhum indício de que esta faixa será tocada no Brasil (a banda não a toca há quase dez anos). Nosso exercício aqui, contudo, é de imaginação (se o Radiohead tocou “Optimistic” depois de sete anos em 2016, por que não?) e, para os fãs que consideram In Rainbows o melhor disco do grupo, seria um presente e tanto. Na turnê em que foi lançada, “Jigsaw Falling Into Place” foi uma das mais frequentes nos setlists, incluindo os dois shows brasileiros de 2009.


“Just” (The Bends, 1995)



Não tocada desde: 2009



Trata-se de um single e uma das melhores músicas do Radiohead nos anos 1990 (possui também um dos clipes mais inspirados do grupo), mas que há quase dez anos foi esquecida pelos integrantes. O site Setlist.fm a aponta como a sétima música mais tocada pela banda em sua história. Nós esperamos que, em 2018, o quinteto já não esteja mais enjoado de “Just” e decida trazê-la de volta aos palcos. Se aparecer no setlist de São Paulo, vai ser a primeira vez de “Just” na cidade.


“Knives Out” (Amnesiac, 2001)



Não tocada desde: 2008



Após dez anos sem aparecer em um único show da banda, a sensação para as próximas apresentações é de que, se o Radiohead deseja tocar alguma coisa de Amnesiac, que seja esta misteriosa e direta canção sobre violência. Não apenas pelo ineditismo no Brasil: se “Knives Out” for tocada por aqui – ou em alguma outra data na América do Sul –, será apenas a quinta vez que Thom Yorke a canta nos últimos 15 anos.


“Black Star” (The Bends, 1995)



Não tocada desde: 2006



Não estamos falando de um lado B ou de uma faixa pouco conhecida do Radiohead. É bastante provável que, se “Black Star” ganhar vida nos palcos brasileiros, uma parcela considerável da plateia vai saber cantar o refrão desta balada do segundo disco do grupo. As chances, no entanto, são pequenas, já que, nos anos 2000, ela só esteve presente na turnê de 2006 do Radiohead.


“Electioneering” (OK Computer, 1997)



Não tocada desde: 1998



Para muita gente, OK Computer é a melhor coisa já feita pelo Radiohead, só que esta faixa basicamente não foi tocada pelo grupo depois da turnê do álbum. As possibilidades de “Electioneering” aparecer em algum show no Brasil são maiores devido a OKNOTOK, uma reedição remasterizada do disco de 1997 incrementada com sobras e lados B. Talvez a proximidade com estas canções, na preparação do relançamento de 2017, faça com que Thom Yorke e seus companheiros decidam resgatar alguma coisa de OK Computer.


“High and Dry” (The Bends, 1995)



Não tocada desde: 1998



The Bends é um dos discos mais acessíveis e, por isso mesmo, um dos mais populares do Radiohead. Ao longo dos anos – e com a evolução da sonoridade do quinteto –, a banda foi deixando de lado as faixas deste álbum, até mesmo as mais populares. “High and Dry” é um clássico dos anos 1990 (já esteve em diversas trilhas sonoras de filmes e séries) esnobado pelo Radiohead há 20 anos e que dificilmente ganhará vida nos palcos brasileiros. Se acontecer, entretanto, vai ser histórico. De The Bends, as possibilidades são maiores para “My Iron Lung”, “Fake Plastic Trees” ou a faixa-título.


“Anyone Can Play Guitar” (Pablo Honey, 1993)



Não tocada desde: 1996



Se o Radiohead não tocar nenhuma música do seu disco de estreia (incluindo o megahit “Creep”, que de vez em quando aparece aqui e ali) na turnê sul-americana, não será nenhum absurdo. Mas se a banda decidir lembrar de Pablo Honey nos palcos brasileiros, torcemos para que seja com “Anyone Can Play Guitar”, uma das coisas mais sujas que o Radiohead fez na carreira (sem contar a letra hilária em que Thom Yorke distorce a voz para cantar que “quer ser Jim Morrison”). É a possibilidade mais improvável de toda essa lista e, se acontecer, vai ser notícia nos sites de música no mundo inteiro.