Rolling Stones em dez videoclipes

Redação Publicado em 12/07/2012, às 12h21 - Atualizado às 13h47

Rolling Stones

“Jumpin’ Jack Flash”

Direção: Michael Lindsay-Hogg. 1968

O diretor de televisão norte-americano Michael Lindsay-Hogg é considerado o mais importante diretor de “promos” da história do rock. Afinal, trabalhou com Beatles e Rolling Stones. Nessa produção, dedicada à canção lançada como single em 1968, ele capricha nos close-ups do rosto dos integrantes da banda, que aparecem maquiados e alguns deles com extravagantes óculos escuros. Registrado em estúdio, ele chama atenção também pelos movimentos de câmera e pela dança de Mick Jagger.


“It’s Only Rock and Roll (But I Liket It)”

Direção: Michael Lindsay-Hogg. 1974

Em mais uma direção de Michael Lindsay-Hogg, os Rolling Stones aparecem vestidos de marinheiros, com direito até a chapeuzinho, embaixo de um imenso toldo listrado em azul e branco. Não há muita variação de ângulos e são mantidas algumas cenas que hoje dificilmente sobreviveriam ao corte final, como dois músicos mostrados atrás da parte lateral de uma guitarra. Os músicos terminam se divertindo em meio a muita espuma, que encobre e suja a câmera.


“Fool To Cry”

Direção: Bruce Gowers. 1976

Diretor do clássico “Bohemian Rhapsody”, do Queen, realizado um ano antes, Bruce Gowers foi o responsável por filmar essa bela balada dos Rolling Stones, lançada no álbum Black and Blue, de 1976. Para obter tal resultado, o realizador se valeu de duas de suas principais técnicas – a sobreposição de imagens dos músicos e dos primeiros planos e close-ups, além da valorização da iluminação, principalmente dos tons rosa e vermelho. Essa versão fez grande sucesso no programa Top of The Pops, exibido pela emissora de TV britânica BBC e que ficou no ar de janeiro de 1964 a julho de 2006.


“Miss You”

Direção: Michael Lindsay-Hogg. 1978

Esse videoclipe é bem mais inventivo do que os anteriores e mistura imagens de Mick Jagger cantando e olhando para a câmera, diante de um fundo preto, e do restante da banda diante de um fundo cor-de-rosa, até que o vocalista se junta aos colegas. Apesar de ser um número de estúdio, que intercala planos gerais e close-ups, a produção representa o espírito psicodélico da época. A música foi incluída no álbum Some Girls, lançado em 1978.


“Undercover of the Night”

Direção: Julien Temple. 1983

Tratado como um típico thriller policial, ambientado em uma festa, esse videoclipe chama atenção pelas diferentes caracterizações de Mick Jagger. A mais divertida delas é a do detetive de bigode e chapéu, que ajuda uma garota que está sendo assaltada. Keith Richards merece destaque como o líder dos assaltantes mascarados. A banda completa aparece tocando na tal festa, que é acompanhada por um casal pela televisão. A produção foi vetada pela MTV norte-americana, que a considerou muito violenta, principalmente em função de um homem ser impiedosamente assassinado. A canção faz parte do álbum de mesmo nome, lançado em 1983.


“Mixed Emotions”

Direção: Jim Signorelli & Jim Gable. 1989

Esse videoclipe tem bem o clima dos anos 80, principalmente em função dos figurinos e da batida da canção, e intercala imagens coloridas da banda tocando e cantando em estúdio, com outras, em preto e branco, dos bastidores e das gravações. Mick Jagger também aparece se exercitando em uma academia de dança, com um uniforme de calça e blusa azul, e camiseta regata amarela. Mais datado impossível. A produção foi utilizada para divulgar uma das faixas mais conhecidas do álbum Steel Wheels, de 1989.


“Love is Strong”

Direção: David Fincher. 1994

Em preto e branco, esse pode ser considerado um dos melhores videoclipes da banda britânica. Realizado por David Fincher, diretor de filmes como O Clube da Luta (1999), O Curioso Caso de Benjamin Button (2008) e A Rede Social (2010), ele chamou atenção ao mostrar os integrantes da banda gigantes, caminhando pelas ruas de Nova York e contracenando com pessoas em tamanho natural. O editor Robert Duffy foi bastante premiado pelas inovadoras técnicas empregadas nesse videoclipe, enquanto o diretor de efeitos especiais Fred Raimondi e os diretores de fotografia Gary Waller e Mike Trim foram indicados ao MTV Video Music Awards, em 1995. A canção faz parte do álbum Voodoo Lounge.


“Like a Rolling Stone”

Direção: Michel Gondry. 1995

Estrelado pela atriz norte-americana Patricia Arquette, esse videoclipe chamou atenção na época por mostrar uma jovem vagando pelas ruas e estações de metrô e, ao mesmo tempo, envolvida em noitadas com a presença dos Rolling Stones. Também se destacou por utilizar muitas imagens congeladas e outras em movimentos que parecem esticar a imagem na tela. Essa técnica foi denominada “bullet time”, que consiste em um sistema de câmeras ligadas uma à outra e alinhadas horizontalmente para que cada uma capte um frame do mesmo instante. Ela se popularizou ainda mais na trilogia cinematográfica Matrix, dos irmãos Wachowski.


“Streets of Love”

Direção: Jake Nava. 2005

Os Rolling Stones aparecem tocando em uma casa noturna enquanto uma garota se diverte ali e um rapaz parece se arrumar para ir ao encontro dela. Porém, o que parece ser uma história de amor com certeiro final feliz, transforma-se em uma tragédia. A direção de Jake Nava cria todo o suspense necessário, variando ângulos e enquadramentos. A banda permanece transmitindo uma vitalidade sem igual no palco. Esse videoclipe serviu para divulgar o álbum A Bigger Bang, do qual a música faz parte e cuja turnê passou pelo Brasil, com o show na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro.


“No Spare Parts”

Direção: Mat Whitecross. 2011”

Esse videoclipe começa com uma contagem regressiva, fogos de artifício e gritos histéricos, procedidos por uma série de manchetes de jornais indicando o retorno da banda ao topo das paradas e anunciando uma nova turnê nos Estados Unidos. A partir daí, aparecem várias imagens de arquivo, coloridas e em preto e branco, do local onde a banda parece se encontrar de fato – o palco –, fazendo o que poucos conseguem com o mesmo resultado – shows. Essa canção foi lançada em 1978, no álbum Some Girls, que ganhou uma edição especial em 2011.