Scarlett Johansson gera polêmica por aceitar interpretar homem transexual

A atriz já havia recebido críticas em 2017 por viver a protagonista de Ghost in the Shell, que deveria ser asiática

Redação Publicado em 05/07/2018, às 12h01 - Atualizado em 13/07/2018, às 19h34

Scarlett Johansson
Jordan Strauss/Invision/AP

Mais um vez Scarlett Johansson é alvo de críticas por aceitar um determinado papel. A polêmica desta vez gira em torno do filme Rub & Tug, que conta a história de Dante "Tex" Gill (interpretado pela atriz), um homem trans que comandava casas de massagem que serviam também como prostíbulo em Pittsburgh, nos anos 1970.

As redes sociais explodiram com comentários polarizados: há aqueles que ficaram indignados, defendendo que o personagem deveria ser vivido por alguém que de fato fosse um homem trans, aumentando a inclusão de atores e atrizes trans no cinema. Por outro lado, é possível encontrar comentários de pessoas que defendem a ideia de que “um papel é um papel”, e que os atores não precisam necessariamente ser como o personagem para interpretá-lo.

Em resposta ao pedido de comentário do site Bustle, um representante da atriz encaminhou uma resposta vinda diretamente dela: “Diga que eles podem reclamar também com os empresários do Jeffrey Tambor, Jared Leto e Felicity Huffman”, atores que inclusive foram premiados pelos personagens trans que viveram.

No ano passado Scarlett também gerou polêmica por interpretar a robô Major, protagonista de Ghost in the Shell, que supostamente seria uma mulher asiática. Tanto na adaptação em live action do anime, quanto na cinebiografia Rub & Tug, quem assina a direção é o britânico Rupert Sanders.