Snoop Dogg aponta arma à cabeça de Donald Trump “palhaço” no clipe de “Lavender”

O comediante Michael Rapaport estrela o vídeo surreal do remix da faixa do BadBadNotGood com Kaytranada
  • Imprimir
por Rolling Stone EUA
13 de Março de 2017 às 15:00

Snoop Dogg aponta uma arma de mentira à cabeça de um presidente Donald Trump estilizado para parecer um palhaço no novo vídeo para “Lavander”, um remix da faixa do BadBadNotGood com Kaytranada.

O clipe se passa em um universo povoado por palhaços. O comediante Michael Rapaport estrela como um homem de família comum que é abordado e assassinado por um policial – um evento gravado por um transeunte e publicado no “ClownTube”. Snoop Dogg critica a brutalidade policial na faixa, dizendo “Trying to keep from dying in these muthafuckin' streets/ Fuck the police, from a black man's point of view”. Logo depois, o rapper fuma maconha ao lado de um Trump acorrentado.

LEIA TAMBÉM
Snoop Dogg fala sobre ser avô, violência policial e fumar um baseado com Martha Stewart
Roger Waters compara Donald Trump a Saddam Hussein
“O mundo não precisa de muros”, diz Lars Ulrich sobre política imigratória de Trump

O youtuber do canal PrankvsPrank, Jesse Wellens, que dirigiu o clipe com James DeFina, conceituou o vídeo enquanto fumava com Snoop Dogg em outubro do ano passado. Ele foi parcialmente inspirado pelo assassinato de Philandro Castile por policiais em julho.

Snoop elaborou o conceito do clipe, criticando a brutalidade policial e as políticas de Donald Trump, dizendo: “O banimento que esse filho da puta tentou fazer; ele vencendo a presidência; a polícia sendo capaz de matar as pessoas e se livrar disso; as pessoas na cadeia por causa de maconha por 20, 30 anos e pessoas que não são negras nas ruas ganhando dinheiro em cima disso – mas se você tem cor ou etnia conectados ao seu nome, você foi acusado erroneamente e preso por isso, e aí você assiste a pessoas brancas ganhando milhões e bilhões com isso”, ele disse.

“É tanta coisa de palhaço que está acontecendo que nós poderíamos sentar e falar no telefone o dia todo sobre isso, mas foram alguns problemas que nós realmente queríamos abordar [no vídeo], como a polícia, o presidente e a vida em geral.”

Assista ao clipe abaixo.

Recomendadas