Stranger Things: sete dúvidas e teorias que temos sobre a segunda temporada

Desde a natureza do Mundo Invertido até a maneira com que Barb vai voltar – algumas perguntas que precisam de resposta na nova leva de episódios da série da Netflix
  • Imprimir
por Noel Murray
29 de Ago. de 2017 às 15:27

Faz pouco mais de um ano desde que Stranger Things foi lançada, sem nenhum hype – e, então, dias depois de a Netflix publicar a primeira temporada, tornou-se uma das séries mais comentadas de 2016. Criada pelos irmãos Matt e Ross Duffer, a primeira leva de episódios da ficção científica/terror veio cheia de referências a contos de Stephen King e clássicos filmes dos anos 1980 no estilo de Steven Spielberg, contando uma história sobre entidades paranormais, organizações governamentais secretas, garotos de uma cidade pequena e uma dimensão sombria conhecida como “Mundo Invertido”. Mais do que a pegada nostálgica, o projeto conquistou o público com seus muitos mistérios – nem todos explicados ao fim dos primeiros oito episódios.

Assista ao trailer da segunda temporada de Stranger Things

Agora, o fenômeno do ano passado pode se tornar obsessão deste ano, quando a segunda temporada da série chegar à Netflix, em 27 de outubro. Mas antes de começarmos a colocar waffles Eggo na torradeira e a examinar as pistas incutidas nos nove próximos episódios, é mais inteligente olhar novamente para onde a Temporada 1 parou – e lembrar de todas as questões com as quais fomos deixados em julho de 2016.

1 – Will ainda está cuspindo algo parecido com lesmas?
O enredo da primeira temporada deslanchou quando o garoto de 12 anos Will Byers encontrou um monstro que os amigos dele chamaram de “Demogorgon” (referência ao clássico demônio do RPG Dungeons & Dragons) e então desapareceu no Mundo Invertido. No episódio final, a ansiosa mãe de Will, Joyce (Winona Ryder), e um policial local, o chefe Jim Hopper (David Harbour), aventuraram-se na outra dimensão e resgatam o garoto da besta, trazendo-o de volta à versão do mundo real da cidade de Hawkins, no estado norte-americano Indiana. Final feliz, certo?

Não exatamente. Com um suspense chocante, a temporada termina com Will em casa, cuspindo uma criatura maciça e viscosa – parecida com as do “ninho” do monstro, em que ele estava preso – enquanto vê flashes do Mundo Invertido sobrepostos no banheiro. Os novos episódios vão supostamente continuar a história um ano depois, em 1984… o que faz sentido, uma vez que todos os jovens atores notavelmente cresceram. Mas Will ficou esse tempo todo tendo alucinações e vomitando gastrópodes?

Esta não é uma questão inútil. Dado o peso que os Duffer colocaram nesta reviravolta, eles vão muito possivelmente ter que abrir o próximo episódio tratando do elefante – ou lesma – no banheiro de Will.

2 – Quando (e como) Eleven vai voltar?
Aqui está outra questão que precisará ser abordada rapidamente. Ainda que Stranger Things tenha uma boa diversidade de personagens memoráveis, a que ficou mais identificada com a série foi Eleven (Millie Bobby Brown), uma garota um tanto queer com intensas habilidades telecinéticas. Depois de ajudar a salvar o dia no fim da Temporada 1, ela desaparece, deixando um punhado de questões apenas parcialmente resolvidas sobre quem ela realmente é, por que foi mantida como prisioneira em um obscuro laboratório científico e onde ela pode ter ido.

Os Duffer (e, bem, os trailers da segunda temporada) indicaram que Eleven vai definitivamente voltar, e que ela estará fortemente envolvida com as novas nuances do enredo, que irão revelar detalhes da história dela. As expectativas são de que vamos vê-la já no primeiro episódio da Temporada 2, uma vez que ela é o coração da série. Mas que tipo de revelações serão essas? O quanto vamos ter que esperar para saber como ela passou todo este último ano? Ela realmente ainda gosta muito, muito de waffles?

3 – Por que o Chefe Hopper foi levado embora?
O policial local de Hawkins superou o próprio alcoolismo e o passado trágico para lutar por Joyce e resgatar Will; no fim da primeira temporada, ele parece sofrer as consequências. Um carro preto misterioso – do tipo que os agentes secretos do governo podem usar – o pegou na rua e foi embora. Ele depois foi visto no meio do mato na rodada de “um mês depois” ao fim do episódio, entregando uma caixa de comida – muito provavelmente para Eleven, já que tem alguns Eggo. Mas nós não sabemos nada sobre o “rolezinho” de carro que ele deu com os federais ou a dimensão completa da relação que ele pode ter tido com os cientistas obscuros para conseguir acesso ao Mundo Invertido.

4 – Qual era exatamente o plano do Dr. Brenner, no fim das contas?
Houve especulação entre os fãs de Stranger Things de que o líder do Laboratório Nacional de Hawkins, o Dr. Martin Brenner (Matthew Modine), está vivo, ainda que tenhamos visto ele ser perigosamente atacado pelo Demogorgon no episódio final. A pista principal da sobrevivência: um jornal preso na parede de Will, falando sobre um resgate, que traz aspas de alguém chamado “Brenner”. Se ele está por aí, talvez possa ligar alguns dos pontos da última temporada relacionados à natureza do trabalho dele no laboratório.

A implicação – nunca completamente confirmada – é que o doutor tenha ajudado a CIA com os experimentos “MKUltra”, com drogas psicoativas e controle da mente… e que Eleven (onze em inglês) tenha sido a 11ª tentativa de um projeto para estudar as crianças dos testes originais (neste caso, a mãe pode ser a catatônica Terry Ives, que clama que a filha dela, Jane, foi roubada no nascimento). Mas o quanto Brenner realmente sabia sobre o Mundo Invertido e o monstro antes de Eleven aparecer entre eles é uma das grandes dúvidas da série.

É completamente possível que ele tenha intencionalmente usado Eleven para explorar esta outra dimensão, em oposição ao objetivo anterior de desenvolver as habilidades psíquicas dela para espionar os inimigos dos Estados Unidos. Alguns fãs teorizam que o monstro pode ser uma mutação de um experimento antigo com os descendentes do MKUltra, e que o governo tenha permitido que esta besta incube um exército de super-armas biológicas, de um jeito alienígena. De toda maneira, se Brenner não voltar, as respostas que estamos procurando podem aparecer com a chegada de um novo personagem: um funcionário do Departamento de Energia chamado Dr. Owens, interpretado por Paul Reiser (que anteriormente na carreira viveu um evasivo agente corporativo em – veja bem – Aliens, O Resgate, de 1986).

5 – Que maravilhas – ou espantos – o Mundo Invertido pode ter?
Stranger Things já foi renovada para uma terceira temporada, e os Duffer disseram que pretendem ter quatro temporadas para amarrar a história. Em outras palavras, não imaginam que esta próxima leva de episódios explique exatamente o que o Mundo Invertido é ou por que ele importa para tantas pessoas. Dado o jeito que o primeiro ano acabou, no entanto, nós devemos continuar a ver criaturas de lá ameaçando as pessoas de bem de Hawkins, com Will potencialmente sendo o único que pode antecipar o que está vindo.

6 – A pobre Barb vai enfim retornar?
Você realmente achava que faríamos um artigo sobre Stranger Things sem mencionar Barb? Os espectadores parecem se importar mais sobre a vida e a morte de Barbara Holland do que seus criadores, graças em grande parte à memorável performance de Shannon Purser como a adolescente desalinhada e adequadamente preocupada – que fica em segundo plano em comparação com as criaturas que Will cospe no fim. Nenhum dos amigos ou família da personagem parecem se importar muito com ela por mais de um ou dois dias depois do desaparecimento inicial. Como ela se tornou uma favoritas dos fãs, contudo, não fique surpreso se o nome dela apareça bastante na Temporada 2 ou mesmo se os Duffer encontrarem uma maneira de colocar Shannon – indicada ao Emmy – de volta na produção.

7 – Que outras referências aos anos 1980 os irmãos Duffer vão fazer desta vez?
O primeiro trailer completo da segunda temporada faz acenos sutis e explícitos a Os Caça-Fantasmas, Os Goonies, Videodrome: A Síndrome do Vídeo, ao vídeo de “Thriller”, de Michael Jackson, à campanha de reeleição de Reagan/Bush e ao videogame Dragon's Lair. A história deste ano acontece perto do Halloween, o que pode render muitas oportunidades de referências a filmes de terror da década de 1980. E, uma vez que 1984 foi o ano de Gremlins, Footloose – Ritmo Louco, Karatê Kid – A Hora da Verdade, Purple Rain (de Prince), Born in the U.S.A. (de Bruce Springsteen), Miami Vice, a performance de Madonna com “Like a Virgin” no VMA, da MTV… bem, há definitivamente muito material para os irmãos Duffer e seus roteiristas e diretores.

Falando em diretores, dois episódios este ano são dirigidos por Andrew Stanton, o gênio da Pixar por trás de Procurando Nemo e WALL·E e do subestimado (sim, isso mesmo) live-action da Disney com John Carter. Ele é alguém com um conhecimento bastante enciclopédico de gêneros cinematográficos. Os artigos do tipo “___ Coisas Que Você Não Percebeu na Segunda Temporada de Stranger Things” devem ser densos a partir de outubro. Honestamente, mal podemos esperar.

Recomendadas