Taylor Swift ganha processo por assédio sexual e radialista terá que pagar um dólar a ela

“Minha esperança é poder ajudar aquelas cujas vozes também devem ser ouvidas”, a cantora disse, prometendo fazer doações a “organizações que ajudam vítimas de assédio”

Rolling Stone EUA Publicado em 15/08/2017, às 12h08 - Atualizado às 12h27

Taylor Swift em apresentação em Los Angeles.

Ver Galeria
(3 imagens)

O júri do caso de assédio sexual envolvendo Taylor Swift e um radialista norte-americano se posicionou ao lado da cantora e da mãe dela na última segunda, 14, rejeitando a alegação do DJ de rádio, que argumentou ter sido demitido injustamente após ter apalpado Taylor durante um encontro nos bastidores da rádio KYGO, em 2013.

Além de se opor ao processo de US$ 3 milhões de David Mueller – ou US$ 250 mil, como o advogado dele teria negociado nos argumentos finais –, o júri também se colocou a favor da ação de Taylor por assédio sexual, forçando Mueller a pagar um valor simbólico de um dólar a Taylor, segundo a CNN.

Taylor Swift não causou demissão de DJ em polêmico caso de assédio sexual, segundo juiz; entenda

Após a vitória de Taylor, a cantora prometeu fazer doações a “várias organizações que ajudam vítimas de assédio sexual a se defenderem”.

Taylor disse em uma declaração: “Eu quero agradecer ao juiz William J. Martinez e ao júri pela cuidadora consideração deles, aos meus advogados Doug Baldridge, Danielle Foley, Jay Schaudies e Katie Wright por lutarem por mim e por qualquer um que se sinta silenciado pelo assédio sexual, e especialmente a todos que me ofereceram apoio ao longo desse processo.”

A cantora ainda acrescentou: “Eu reconheço o privilégio do qual eu me beneficio na vida, na sociedade e na minha capacidade de arcar com os custos de defender a mim mesma em um julgamento como este. Minha esperança é poder ajudar aquelas cujas vozes também devem ser ouvidas. Portanto, farei doações em um futuro próximo a várias organizações que ajudam vítimas de assédio sexual a se defenderem”.

“Sinto-me decepcionado pelo Sr. Mueller, mas respeito a decisão do júri”, disse o advogado de Mueller, Gabe McFarland, à Rolling Stone EUA.

Apesar de o processo de Mueller contra Taylor ter sido indeferido na última sexta, 11, após o juiz considerar que os advogados do DJ não conseguiram provar que ela estava envolvida na demissão dele, o processo de Mueller contra a mãe da cantora, Andrea, e o diretor de promoções de rádio, Frank Bell, continuou, com os argumentos finais sendo apresentados na última segunda, 14.

Após uma deliberação de quatro horas, o júri considerou que Taylor apresentou provas suficientes de que Mueller “apalpou minha bunda por baixo da saia”, como ela testemunhou no tribunal.

Taylor já havia dito que o processo dela, que pedia apenas um dólar, era “como exemplo para mais mulheres que possam resistir a tornar públicos outros casos ultrajantes e humilhantes como este.”