Taylor Swift testemunha em julgamento contra radialista: “Ele apalpou minha bunda por baixo da saia”

A cantora apareceu no tribunal federal de Denver para detalhar como o ex-apresentador a teria assediado enquanto eles tiravam uma foto em 2013
  • Imprimir
por Rolling Stone EUA
11 de Ago. de 2017 às 11:12

Taylor Swift testemunhou em um tribunal de Denver, nos Estados Unidos, na última quinta, 10, dizendo que tem “certeza absoluta” de que o ex-apresentador de rádio David Mueller a assediou sexualmente enquanto os dois tiravam uma foto juntos em 2013. O testemunho de Taylor durou aproximadamente uma hora, segundo a CNN.

“Foi definitivamente uma apalpada… Uma apalpada muito demorada. Ele apalpou minha bunda por baixo da saia”, ela disse. Ela ainda se referiu ao acontecimento como “horrível e chocante”.

De Bon Iver a Kendrick Lamar: conheça as canções que marcaram a vida de Taylor Swift

A cantora garantiu que Mueller a agarrou de propósito, rejeitando a afirmação dele de que a interação entre os dois foi "aleatória" ou "apressada". “Não foi acidental. Nós estávamos posicionados para que a foto fosse tirada”, Taylor disse. “O que o Sr. Mueller fez foi muito intencional.” Taylor ainda disse que no momento do acontecimento ela continuou com o meet and greet para não decepcionar os fãs. Ela disse que mencionou o assédio pela primeira vez para a fotógrafa dela, Stephanie Simbeck, 15 minutos após o ocorrido.

Taylor acrescentou que não teve uma reação específica ao descobrir que Mueller foi demitido devido ao suposto comportamento dele. “Não vou permitir que você ou seu cliente façam com que eu sinta que isso é culpa minha, porque não é”, ela disse. “Eu estou sendo culpada pelos eventos infelizes da vida dele que são resultado das decisões dele, e não das minhas.”

Na última terça, 8, Mueller testemunhou afirmando nunca ter tocado em Taylor. Mueller disse que ele pode ter acidentalmente tocado na cantora enquanto estava tentando se posicionar para a foto.

“Minha mão entrou em contato com parte do corpo dela”, Mueller disse. “Eu senti o que parecia ser a caixa toráxica ou uma costela. E minha mão foi por trás dela e a mão dela, ou o braço, passou para trás do meu braço.” Depois, Taylor respondeu a Mueller por meio do Buzzfeed: “Ele não tocou na minha costela, ele não tocou na minha mão, ele agarrou a minha bunda”.

A mãe de Taylor, Andrea Swift, testemunhou no tribunal na última quarta, 9, relembrando como ela reagiu após a filha contar que Mueller a apalpou durante o meet and greet de 2013. “Eu fiquei tão chateada que eu sentia que queria vomitar e chorar ao mesmo tempo”, ela disse.

“Ele a assediou sexualmente”, a mãe de Taylor disse, apontando para Mueller. “Bem ali. Aquele cara. Eu ouvi isso da boca de minha filha. Eu sei que aconteceu.”

A batalha jurídica tem se desenrolado há quase dois anos, após o radialista ter processado Taylor, a mãe dela e o diretor de promoções de rádio Frank Bell em 2015, alegando que eles teriam pressionado a rádio KYGO a demiti-lo após a acusação de assédio em 2013. Ele admitiu na última terça, 8, que vários supervisores da KYGO discutiram a possibilidade de demiti-lo antes do encontro dele com Taylor.

Recomendadas