Virada Ocupação: Criolo, Paulo Miklos e Maria Gadú se apresentarão em escolas ocupadas de São Paulo

Segundo a Secretaria de Estado da Educação, 200 escolas paulistas foram tomadas em protesto contra o plano de reorganização da rede pública de ensino
  • Imprimir
João Rock 2015 - Criolo
Caio Rodrigues/Divulgação
por Lucas Borges
2 de Dez. de 2015 às 12:41

O meio artístico está se mobilizando para apoiar a luta dos alunos paulistas contra o plano de reorganização da rede pública estadual de ensino e, no próximo final de semana, músicos iniciantes e consagrados devem participar da Virada Ocupação.

Criolo completa 40 anos e segue arrebatando públicos além do rap.

Atualmente, pelo menos 200 escolas do estado de São Paulo (este é o número informado pela Secretaria de Estado da Educação; o Sindicato dos Professores fala em 205) estão ocupadas por estudantes contra o plano do governo que pode transferir mais de 311 mil alunos dos seus atuais colégios e fechar 93 escolas. A medida poderia gerar superlotação das classes e queda da qualidade do ensino, alegam os protestantes.

Paulo Miklos, Edgard Scandurra, Maria Gadú, Tiê e Criolo são alguns dos nomes já confirmados no evento, que acontecerá no próximo domingo, 6, e na próxima segunda-feira, 7. Os colégios em que os shows serão realizados serão revelados apenas no dia das apresentações, pela página no Facebook da Rede Minha Sampa.

"A gente vem acompanhando de perto desde os primeiros choques com os estudantes. Ficamos um pouco assustados coma a arbitrariedade, o único representante do governo estadual que está presente nesses atos é a polícia. A gente só pode ficar do lado dos alunos", diz Scandurra, que tocará Jimi Hendrix no evento, acompanhado de Tassiano Barros, do filho Daniel Scandurra e de Naná Rizinni.

"Os estudantes estão militando em uma causa justa e precisam de apoio. É o mínimo que a gente pode fazer. A música atrai mais gente, chama mais atenção da população para esse descalabro. Na certa isso vai gerar shows muito bacanas". Segundo o integrante do Ira!, a cantora Karina Buhr também deve fazer parte do ato. À Rolling Stone Brasil, Fábio Trummer, da banda Eddie, também manifestou intenção de participar.

Outros nomes de destaque devem engrossar a lista nos próximos dias e voluntários podem se inscrever na Virada através de site oficial. Além de músicos, produtores, comunicadores e outros podem ajudar.

Anna Livia Arida, diretora do Minha Sampa, informa que mais de 200 atrações já estão inscritas. “Já estávamos em contato com os alunos por conta de outras iniciativas e percebemos na classe artística esse desejo de apoiar o movimento, percebemos que a sociedade mais ampla quer apoiar o movimento”, conta ela sobre o surgimento da ideia.

Emicida exalta a cultura negra em disco com mensagem acessível e extremamente relevante.

“Estamos falando com muitos artistas ainda, tem muita gente interessada. Claro que tem a questão da agenda, mas existem muitos artistas grandes querendo participar.”

Nessa terça-feira, 1°, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, publicou um decreto que autoriza a transferência de funcionários públicos entre as escolas estaduais, prosseguindo com o plano de reorganização do ensino em ciclos únicos. Os estudantes exigem que as mudanças sejam discutidas com a população.

Recomendadas