Yoko Ono condena apelido de jihadista do EI: “Não permitirei que ele destrua a memória de John Lennon”

Terrorista do Estado Islâmico afirma que o codinome “Jihadi John” é menção ao ex-Beatle
  • Imprimir
por Redação
6 de Julho de 2015 às 11:10

Yoko Ono comentou uma afirmação do jihadista do Estado Islâmico Mohammed Emwazi, conhecido pelo nome “Jihadi John”, na qual ele diz que o apelido é uma menção ao ex-Beatle John Lennon. O terrorista ainda disse, através de uma mensagem transmitida pelo EI, que outros membros do grupo possuem apelidos ligados aos demais integrantes do quarteto de Liverpool.

Gravação inédita dos Beatles em clube de strip na Alemanha será vendida em leilão.

Em fevereiro, o serviço de inteligência britânico revelou que Emwazi, nascido no Kuwait, era o indivíduo por trás personagem Jihadi John, envolvido na morte de diversos ocidentais.

Há 46 anos, John Lennon e Yoko Ono se casavam; veja 10 momentos marcantes do casal.

Em entrevista ao The Observer, Yoko lamentou o uso do nome do marido pelo jihadista. “Isso é de péssimo gosto. Não vou deixar que eles destruam a memória de John Lennon, ou dos Beatles”.

A ativista e artista, lembrando os inspirados discursos da década de 1970, comentou que ainda crê na paz mundial. “Acho que não se pode ser cínico em relação a esse tema. Acho que ainda existirá, embora leve algum tempo. Não gosto da palavra otimista, por soa como algo irreal, creio que realmente estamos na estrada para a paz mundial”, afirmou Yoko Ono.

Doze grandes músicas de George Harrison pós-Beatles.

Recentemente, Ringo Starr, ex-baterista dos Beatles, também criticou o apelido de Emwazi: “É idiotice. O que o EI faz é contrário a tudo o que os Beatles sempre defenderam”. “Os quatro membros da banda sempre foram defensores da paz e do amor”, completou Starr.

Recomendadas