20 passos de dança, graças e gestos icônicos de astros do rock e do pop transformados em GIFs

Redação Publicado em 11/07/2013, às 22h21 - Atualizado em 12/07/2013, às 10h51

Passos de dança (galeria) - Abre
Reprodução/vídeo

O Moonwalk

Michael Jackson já era um astro em um idade em que a maioria de nós ainda brincava de boneca. Mas depois que o especial de 25 anos da Motown foi ao ar na NBC em 1983, ele se tornou uma super celebridade. Foi quando Jackson fez a performance de "Billie Jean" para uma plateia ao vivo e revelou seu agora-famoso Moonwalk, creiando a ilusão de se mover para a frente enquanto se movia para trás. Ele não foi o primeiro a fazer isso – o sapateador Bill Bailey já dançava isso em 1943 no filme Uma Cabana no Céu – mas acabou se tornando o passo mais famoso de MJ, fazendo com que jovens de todo o mundo tentassem e provassem que não é tão fácil quanto parece.


A dança do pato - ou Duck Walk

O lugar de Chuck Berry na história teria sido um pouco menos memorável se ele estivesse usando calças diferentes – ou se tivesse um ferro de passar. Durante um dos shows do DJ Alan Freed em 1956, Berry ficou com vergonha dos amassados em suas calças de seda e tentou escondê-las atrás da guitarra. Para isso, ele fez um truque que fazia quando era criança, se agachando e indo para a frente com uma perna balançando para frente e para trás – tudo isso enquanto ainda tocava guitarra. Os fãs enlouqueceram e Berry fez o passo do pato para o resto de sua vida.


Despir a capa

No Grammy de 2007, Danny Ray vestiu a capa vermelha e brilhante de James Brown em um microfone em homenagem ao Padrinho do Soul, que tinha acabado de morrer. Era uma referência ao seu gesto mais memorável. Por mais de 40 anos, Ray teve um papel muito importante nesse gesto, que acontecia durante a música "Please, Please, Please". Brown se ajoelhava e Ray colocava uma capa em seus ombros – a inspiração veio do lutador Gorgeous George. Conforme era levado do palco por Ray, aparentemente exausto, arrancava a dramaticamente e continuava cantando, solidificando sua reputação de o homem mais trabalhador do show business.


O moinho de vento – ou Windmill

Em uma aparição no programa The Late Show With David Letterman, O guitarrista do The Who disse que ele pegou seu gesto mais conhecido – tocar guitarra imitando um moinho de vento – de Keith Richards. Uma noite, quando o Who estava abrindo para os Rolling Stones, Pete Townshend disse que viu Richards fazer o “windmill” enquanto entrava em cena. Quando Richards, posteriormente, disse a ele que não tinha planos de continuar fazendo isso, Townshend adotou o moinho. A técnica frequentemente deixa Townshend com os dedos sangrando, mas as imagens de seus Moinhos de Vento estão entre as mais icônicas do rock.


O “Arm Chop”

O Talking Heads até podia ser um grupo de nerds estudando arte, mas depois que o clipe de "Once in a Lifetime" começou a ser exibido na MTV, até mesmo os jovens descolados “fatiavam seus braços” enquanto declaravam "same as it ever was". O gesto esquisito, conforme David Byrne contou ao Pitchfork, foi inspirado por um grupo de rockabillies japoneses. Depois de ver os jovens dançando em um parque de Tóquio, Byrne começou a gravar os passos deles, que incluíam esse movimento aí que ele tornou famoso.


O “passo do galo” – ou Rooster Strut

Antes da música do Maroon 5 "Moves Like Jagger" elogiar as habilidades de Mick, o o estilo de dança do frontman dos Rolling Stones já era assunto e material para muitas paródias – especialmente porque era bem fácil de imitar. Simplesmente coloque as nãos nos quadris e ande de forma empolada como um galo. É claro que Jagger tem mais passos, além desse, mas nada supera o galo.


Deslizando no palco - ou “Stage Slide”

Depois que a escorregada pelo chão de Bruce Springsteen não deu muito certo durante o show no intervalo do Super Bowl, em 2009, ele explicou o ocorrido em um post: "Era muita adrenalina, caí atrasado, estava rápido demais”. Na escala do cool, a superescorregada de Springsteen que atropelou uma câmera virou nada perto de quando Pete Townshend memoravelmente escorregou em câmera lenta em The Kids Are Alright.


A chacoalhada de quadril

Depois que Elvis Presley apareceu no The Milton Berle Show em 1956, a NBC recebeu milhares de telefonemas e cartas de pessoas muito bravas. Isso porque durante sua performance de "Hound Dog", Presley teve a ousadia de chacoalhar e remexer os quadris de uma maneira que o povo da década de 50 concluiu que simplesmente tinha que aludir a sexo. E aludia mesmo. A polêmica foi tão intensa que Ed Sullivan só deixava que Elvis fosse gravado da cintura para cima – história que acabou se tornando bastante famosa.


Os passos do Temptations – ou The Temptation Walk

Conforme o Temptations tentava entrar para a realeza da Motown em um campo que já estava repleto de estrelas, o integrante Paul Williams sugeriu que eles tinham que “vender sexo”, o que quer dizer que tinham que dançar. Então, ele desenvolveu o que ficou conhecido como a Temptation Walk. Embora vários membros do grupo soubessem dar saltos mortais, a Temptation Walk não exigia grandes habilidades atléticas. Mas cinco caras de terno estalando os dedos, batendo palmas e pisando em sincronia era algo charmoso o suficiente para se popularizar.


A estrela – ou The Cartwheel

Com 100kg, John Belushi era encanado com seu peso. Então ele devia ter algo para provar em 1978 quando o Blues Brothers apareceu como convidado musical do Saturday Night Live. Durante a música "I Don't Know", ele deu uma estrela, o que criou um visual cômico. Mesmo depois que o Blues Brothers passou a levar os shows a sério, Belushi continuou com a acrobacia.


O soco no ar – ou The Fist Pump

A gente entende qual é a do gesto: dá uma sensação boa, de poder. É por isso que os Panteras Negras o usavam (isso sem falar naqueles caras de Jersey Shore). Mas se alguém fosse consagrar o padrinho do "fist pump", teríamos que escolher Billy Idol. A mera menção do nome dele, afinal de contas, traz à mente a imagem de uma luva de couro em torno de um pulso.


O chute de caratê

Ao longo de sua vida, David Lee Roth foi muitas coisas. Mas antes de tudo isso, Roth era um cara muito interessado em artes marciais. Ele colocou seu treino em prática quando se tornou um astro do rock e seus chutes e golpes se tornaram um marco dos shows e clipes.


The Slide Glide (o Moonwalk de lado)

As coreografias giratórias, serpenteadas e ocasionalmente robóticas de Usher já conquistaram e divertiram milhões de pessoas – muitas dessas, inclusive, tentaram repetir em casa. Seu passo patenteado – o Slide Glide – basicamente coloca o Moonwalk de Michael Jackson para funcionar de lado.


As patas de monstro – ou The Monster Paws

Os fãs de Lady Gaga se chamam de Little Monsters (monstrinhos) – e um dia, enquanto dirigia por Boston, Gaga viu dois Little Monsters se cumprimentaram gesticulando com as mãos em forma de garra e decidiu que tinha que adotar o símbolo. Agora, os fãs usam o gesto para demonstrar que concordam com alguma coisa ou para mostar que são inspirados pela arte, assim como Gaga. A cantora também o utiliza, especialmente no clipe de "Bad Romance".


A guitarra giratória

Um dia, no meio da madrugada, o luthier Dean Zelinsky recebeu uma ligação às 2h do guitarrista do ZZ Top Billy Gibbons, que estava em uma festa com o Def Leppard (era o que você fazia nos anos 80) A mensagem urgente: ele precisava de guitarras revestidas de lá de carneiro. Gibbons mandou o material e Zelinsky, por sorte, tinha um cortador de crina de cavalo (a sua então namorada treinava cavalos) para ajudar a criar o instrumento. Mais tarde, o baixista Dusty Hill pediu que ele adicionasse o que fosse necessário para que os instrumentos pudesser ser rodopiados. Quase 30 anos depois que as guitarras peludas giraram no clipe de "Legs", a banda ainda as utilizam e muitos outros criaram suas próprias guitarras com lã.


A serpenteada – ou The Snake Dance

Quando o comediante Mark Malkoff criou uma banda-tributo só com crianças ao Guns N' Roses em 2004, a cantora de nove anos Alexa Rose Palminteri (sim, esse é o nome dela de verdade) não aprendeu somente a letra de "Welcome to the Jungle". Para captar a essência de Axl Rose, ela também aprendeu a snake dance. Por sorte, não foi nada complicado para a líder do Li'l Gn'R. Presente nos clipes de "Jungle", "Sweet Child O' Mine" e "Patience", a cobra exige apenas essa serpenteada. E a banda, claro.


O homem correndo – ou The Running Man

Você vai dizer isso que a gente sabe, então, melhor falar logo: "Stop. Hammer Time!" Essa é a primeira coisa em que você pensa quando o nome do MC Hammer é invocado. E aí você vai lembrar do figurino e, logo, chegar na dança, que era muito boa. Conforme vimos em sua obra prima "U Can't Touch This", Hammer conseguia girar e trepidar de um lado para o outro com muita rapidez. Mas ficou mais conhecido mesmo com o Running Man, aquele passo meio aeróbico que simula correr sem sair do lugar.


”Vogando”

Fazer uma pode? Sem problemas, todos nós fizemos. Se bem que, em nossos esforços para imitar Madonna, todo mundo se saiu meio patético. Nos anos 80, a Vogue era uma dança realizada na cena gay underground de Nova York. Lá, os festeiros usavam uma série de gestos complicados com as mãos, poses corporais e outros movimentos para imitar ícones de Hollywood. Inspirada por isso, Madonna co-escreveu a música "Vogue" em 1990 e no clipe ela fez uma homenagem à ídolos mortos como Marlene Dietrich, Greta Garbo e Rita Hayworth.


Levantar-se tocando piano

Jerry Lee Lewis não aguentava ficar sentado durante uma performance inteira. Então, seguindo o conselho de Johnny Cash e Carl Perkins, ele começou a se levantar enquanto estava ao piano. Mas simplesmente ficar em pé seria um tédio, então ele chutava seu banco longe batia nas teclas com o pé e às vezes até ficava em pé no piano.


Tutting

Bieber não inventou o estilo – ele vem de lá dos anos 70, das batalhas de break – mas o fenômeno pop é o novo campeão da geometria sincronizada entre braço e mão. Se tornou meio que uma assinatura dele, ao ponto de vários fãs terem postado tutoriais no YouTube de como realizar.